Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Dois dias após temporal, zona oeste e Cotia ainda sofrem sem energia

Eletropaulo diz que deve restabelecer o fornecimento de energia na Vila Leopoldina e na cidade da Grande São Paulo até o fim da noite deste sábado

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

22 de outubro de 2016 | 17h52

SÃO PAULO - Dois dias após o forte temporal que atingiu São Paulo, ruas da Vila Leopoldina, na zona oeste da capital paulista, e da cidade de Cotia, na região metropolitana, ainda continuam sem energia. Segundo a Eletropaulo, essas são as duas "grandes ocorrências" de falta de luz por causa das chuvas da última quinta-feira, 20, que devem ser resolvidas até o final da noite deste sábado, 22, com ajuda do Corpor de Bombeiros.

Na manhã deste sábado, 1.200 funcionários da concessionária foram escalados para reestabelecer o fornecimento de energia em toda a área de concessão. São Paulo, Cotia e Barueri foram as cidades mais afetadas pelo corte de energia, após quedas de árvores de grande porte sobre a fiação. Na capital, os maiores estragos ocorreram nas zonas oeste e sul. Moradores de Pinheiros, Lapa e Butantã (oeste) ainda amanhaceram sem luz em casa. 

Na noite de sexta-feira, 21, segundo a Eletropaulo, a energia foi reestabelecida nos bairros Pacaembu (oeste), Jabaquara e Brooklin (sul). "90% dos problemas gerados pelos temporais do dia 20 já foram resolvidos. Neste momento temos apenas 17 locais onde estamos trabalhando com equipes pesadas para reconstrução da rede", disse Marcelo Puertas, gerente de operação da Eletropaulo, em comunicado no fim da manhã deste sábado. Segundo ele, a expectativa é de que todos os reparos sejam finalizados até o fim da noite deste sábado para 100% da rede volte à normalidade. 

Na rua Albio, na Lapa, onde um rapaz morreu eletrocutado na última quinta-feira, três carros da Eletropaulo faziam reparos na rede elétrica. As intervenções também estavam sendo executadas na rua Guararapes e na avenida Mercedes, onde uma árvore caiu sobre uma casa, arrancando as telhas. Na rua Marcílio Dias, outra árvore ainda continuava caída bloqueando parte da via e alguns semáforos continuavam desligados na região.

Segundo a Prefeitura, a região da Lapa registrou na última quinta-feira 64,6 mm de chuva, mais de 50% do total esperado em outubro para toda a cidade. Até sexta-feira, o Sistema de Gerenciamento de Ocorrências Críticas (SGOC), havia registrado a queda de 55 árvores apenas no distrito. A gestão Fernando Haddad (PT) informou que as equipes de zeladoria da Subprefeitura da Lapa trabalham neste fim de semana na remoção de árvores atingidas pelas chuvas e ventos para minimizar os transtornos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.