Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Do alto, uma capital fotogênica

Em picos nos extremos da cidade ou no topo de edifícios no centro, as melhores[br]vistas de SP surpreendem turistas e locais. Veja nossas sugestões e aproveite também

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2011 | 00h00

Para ver São Paulo de cima não é preciso viajar de helicóptero. A Expedição Metrópole foi conferir as melhores panorâmicas da cidade e começou pelo ponto geográfico mais alto da capital, o Pico do Jaraguá. "Aproveitamos que não tínhamos aula e viemos apreciar essa vista", diz Deborah Rojas, de 21 anos. Paulistana de nascimento, a estudante de Oceanografia confessa que apreciava pela primeira vez São Paulo daquele ângulo, a 1.135 metros de altura.  

 

Veja também:

blog Mais matérias no blog da Expedição Metrópole 

"O ar daqui é tão bacana que nem parece que estamos em São Paulo", diz Allyson Nardelli, de 26 anos, namorado de Deborah, também estudante de Oceanografia - e também vivendo a experiência pela primeira vez. O pico fica no Parque Estadual do Jaraguá, aberto todos os dias, das 7h às 17h, com entrada grátis. Para chegar até lá, a saída é pelo km 18 da Rodovia Anhanguera. Aí são mais cerca de 11 km bem sinalizados com placas.

Além de apreciar quase infinitos prédios e uma inconfundível camada de ar poluído que recobre a cidade, também há a atração natural: com vegetação remanescente de Mata Atlântica, o parque é refúgio de representantes da fauna brasileira. Com sorte, podem ser vistos saguis, tucanos e bichos-preguiça.

Quem não curte passeios "naturebas" também pode apreciar São Paulo de cima. Há endereços mais glamourizados, como o Terraço Itália, no centro. O restaurante ocupa o topo do Edifício Itália, erguido entre 1960 e 1965, com 42 andares e 160 metros de altura. "Essa é a minha primeira vez na cidade, mas seguramente não será a última. Estou deslumbrada com a vista", elogia a poetisa espanhola Ajo Micropoetisa.

Uma outra opção "classuda" é o The View. O bar-restaurante fica no 30.º andar de um prédio da Alameda Santos - o elevador exclusivo para o pavimento leva 45 segundos para vencer os 110 metros. A paisagem é marcada pelos prédios da Avenida Paulista.

Mas se você não quer gastar nenhum centavo para apreciar São Paulo do alto, o melhor local é o Edifício Altino Arantes, no centro. O "prédio do Banespa", como é conhecido, foi inaugurado em 1947 e é um dos mais emblemáticos arranha-céus paulistanos. Para subir os 160 andares, o acesso é livre de segunda a sexta, das 10h às 16h.

Na Avenida Doutor Arnaldo, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira, inaugurado em maio de 2008, também proporciona, do alto de seus 150 metros, uma privilegiada vista. De lá, é possível observar o Pacaembu de um lado e a região dos Jardins e de Pinheiros do outro - mas a entrada é restrita. O último piso é usado para cursos e treinamentos. A cobertura, onde fica o heliponto, é daqueles lugares em que ninguém quer pisar: é reservado para a chegada de pacientes.

O cenário, entretanto, é pano de fundo para o trabalho diário dos bombeiros civis do prédio, como Custódio Santana de Carvalho. "Gosto dessa vista. Esses prédios que não acabam mais... Por mais que eu queira contar, são incontáveis, não?"

Serviço

PARQUE DO JARAGUÁ. R. ANTONIO CARDOSO NOGUEIRA, 539. TERRAÇO ITÁLIA. AV. IPIRANGA, 322. EDIFÍCIO ALTINO ARANTES. R. JOÃO BRÍCOLA, 24. THE VIEW. AL. SANTOS, 981

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.