Discurso agrada ao eleitor principal: o governador Alckmin

Na eleição para a reitoria e a vice-reitoria da USP, apenas um entre quatro concorrentes sairá derrotado das urnas em 19 de dezembro. Isso porque os votos de professores, funcionários e alunos definem uma lista tríplice a ser encaminhada ao governador Geraldo Alckmin. Cabe ao governador definir o reitor. Na eleição passada, o cientista Glaucius Oliva, mais votado, foi preterido pelo governador José Serra, que optou pelo segundo colocado, João Grandino Rodas. Por enquanto, apenas a chapa de Hélio Nogueira da Cruz parece ter atentado para esse detalhe, fazendo um discurso em consonância com as reclamações do governo paulista.

CENÁRIO: Bruno Paes Manso, O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2013 | 02h02

Nos bastidores, Alckmin já vinha reclamando que a reitoria não parava de pedir dinheiro, mesmo com uma grande reserva em seus cofres. O discurso da cautela e do equilíbrio fiscal, nesse sentido, apesar de impopular entre a comunidade uspiana, é uma sinalização para o Estado. As demais candidaturas, por enquanto, estão concentrando seus discursos nos integrantes da universidade. Nestas eleições, depois das reformas definidas pelo Conselho Universitário, ampliou-se o número de eleitores. A aproximação política com o governador, contudo, é indispensável para a vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.