Diretora da Mostra elege os filmes de SP

Cineasta destaca os cenários paulistanos que já foram destaque em longas-metragens

EDISON VEIGA, O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2012 | 03h05

Nas próximas duas semanas, a cidade vai respirar cinema. Isso não é nenhum exagero: começa amanhã e vai até o dia 1.º de novembro a 36.ª edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, evento consolidado no calendário de cinéfilos e apaixonados por arte de modo geral.

Viúva de Leon Cakoff, criador e organizador da Mostra, morto em outubro, Renata Almeida, de 47 anos, assina a maratona cinematográfica deste ano. "Será uma edição forte, com muita coisa bacana", promete ela, frisando os números: serão 350 títulos de 60 países, distribuídos em cinco sessões, em 28 locais de exibição.

Por 21 anos, Renata foi parceira de Cakoff na vida pessoal (tiveram dois filhos, Jonas e Tiago, hoje respectivamente com 14 e 10 anos) e profissional. Com ele, organizou todas as mostras desde a 13.ª, em 1989. Também apresentaram juntos o programa sobre a mostra na TV Cultura, que começou em 2010 e hoje continua com Renata e o apresentador Cunha Júnior. Ela é responsável pelos filmes exibidos no programa, que sempre saem da programação das mostras.

Formada em Rádio e Televisão pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), Renata se especializou em cinema e documentário pela New School, em Nova York.

A pedido do Estado, ela escolheu lugares da cidade que, em suas memórias, têm relação profunda com alguns filmes. Na seleção, dramas e comédias da telona ajudam a mostrar um pouco da arquitetura, do urbanismo, da história e do jeitão paulistano, que, muitas vezes, no corre-corre do dia a dia, deixamos de perceber.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.