Diretor da Poli é candidato a reitor da USP

O diretor da Escola Politécnica da USP, José Roberto Cardoso, é o primeiro professor a oficializar sua candidatura ao cargo de reitor da universidade. A eleição para a substituição de João Grandino Rodas ocorre no fim do ano. Ele acredita que a gestão atual teve "grandes avanços", mas ressalta que não é o candidato de Rodas.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2013 | 02h02

"Quero dar minha contribuição e espero que minhas ideias sejam aceitas pelo professor Grandino e por toda a comunidade", disse ele ao Estado. "Sou professor há 40 anos, com passagens por todos os cargos e comissões administrativas e, por isso, me sinto preparado."

Na eleição para reitor da USP, qualquer professor titular pode ser eleito, mesmo sem oficializar candidatura. A ideia de Cardoso é iniciar sua campanha realizando visitas às unidades da universidade.

A campanha ocorrerá no momento em que há um debate sobre mudanças no modo de escolha do reitor, processo aberto por Rodas no início do mês. Cardoso se diz favorável à eleição direta para o cargo. "Um processo que toda a comunidade participe é o mais adequado."

O professor afirmou que o fortalecimento na graduação e também o avanço do ensino online serão algumas de suas bandeiras. Ele também defende a busca por outras fontes de financiamento da universidade. "A Poli conseguiu muitos recursos do setor produtivo e toda as unidades têm condições de fazer, como ocorre em universidades no mundo todo." A entrada de dinheiro privado sempre foi uma questão delicada na USP.

Cotado. Em conversas com interlocutores na USP, o nome de Cardoso já aparecia como possível candidato nos últimos meses - ao lado dos pró-reitores Marco Antonio Zago (Pesquisa), Vahan Agopyan (Pós-graduação) e do vice-reitor, Helio Cruz. Antes crítico incisivo de cotas, Cardoso foi um dos docentes que diminuíram o tom das críticas quando o projeto de inclusão feito pelo governo e reitores de universidades estaduais foi apresentado.

Após meses de debate, a USP aprovou aumento de bônus e metas de inclusão de alunos de escola pública e negros. Cardoso afirma que, se eleito, haverá acompanhamento dessas metas e, se necessário, revisão dos mecanismos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.