Diplomata sofre sequestro relâmpago

Caso aconteceu a poucos quilômetros do Palácio do Planalto, na mesma área onde filha de ministro da Pesca foi abordada há dois meses

VANNILDO MENDES / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

04 de outubro de 2012 | 03h04

O diplomata italiano Marco Chirullo, que integra a missão da União Europeia em Brasília, foi vítima de sequestro relâmpago na Asa Sul, a poucos quilômetros do Palácio do Planalto. Ele ficou meia hora em poder dos bandidos, antes de ser deixado na cidade-satélite de Ceilândia. O Itamaraty informou que aguarda uma comunicação da Embaixada Italiana ou da União Europeia, para pedir esclarecimentos ao governo do Distrito Federal.

Chirullo, de 37 anos, é segundo-secretário de Assuntos de Comércio da União Europeia e está no País há três anos. O caso aconteceu na noite de anteontem, por volta das 21h40, quando o diplomata foi surpreendido por dois homens armados enquanto esperava uma amiga na Superquadra 408. Os bandidos levaram o carro do italiano, que não sofreu ferimentos, além de dinheiro, um celular e outros objetos.

A amiga do diplomata também foi abordada, quando se aproximava do veículo, mas conseguiu escapar e acionou rapidamente a Polícia Militar por telefone. O italiano ficou em poder dos sequestradores por meia hora, mas não revelou sua condição de diplomata. Em seu depoimento, relatou que teve sangue frio diante da situação e não se precipitou. Os bandidos, possivelmente inexperientes, também não se deram ao trabalho de conferir nem a placa do veículo - que era oficial e acabou abandonado.

Na mesma superquadra, Déborah Crivella, filha do ministro da Pesca, Marcelo Crivella, sofreu uma tentativa de sequestro em agosto. Ela aproveitou-se de uma distração dos bandidos e saltou do carro em movimento.

A delegada Mabel de Faria, titular da 1.ª DP, informou ser remota a possibilidade de ligação entre o sequestro do diplomata e o da filha de Crivella. Mas não descarta totalmente a hipótese.

A 1.ª DP já abriu um inquérito, mas as buscas dos criminosos estão prejudicadas porque a Polícia Civil está em greve há mais de 40 dias por aumento de salário. Na tarde de ontem, o carro do diplomata, um Toyota RAV4, foi achado por uma equipe do 9.º Batalhão da Polícia Militar na cidade-satélite do Gama, a 35 quilômetros do Plano Piloto.

Pouco depois, no mesmo local, um adolescente de 16 anos foi apreendido como suspeito de ligação com os bandidos. Procurada, a Embaixada da Itália não se manifestou sobre o caso.

Em alta. Roubo com restrição de liberdade, como o sequestro relâmpago está tipificado no Código Penal, é a modalidade de crime que mais cresce hoje no Distrito Federal. Em 2011, foram registrados 675 casos no Plano Piloto e cidades-satélites. De janeiro a setembro deste ano, houve um aumento de 27% no número de casos, em relação a igual período do ano passado.

O secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, informou que há quatro meses foi adotado o plano de segurança Ação pela Vida, destinado a reduzir as estatísticas de criminalidade. O número de homicídios subiu 9% no primeiro semestre e o de latrocínio, 5%. O governo local também pediu ajuda federal e o Ministério da Justiça enviou um grupo de cem homens da Força Nacional para atuar em áreas violentas da região do Entorno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.