Diplomata fugiu do País

O assalto ao motorista é o segundo caso em três semanas a levar a Embaixada do Irã em Brasília a virar notícia. No início de abril, um outro funcionário foi acusado de molestar quatro meninas de 9 a 14 anos na piscina de um clube da cidade. O servidor chegou a prestar depoimento, mas foi liberado pela polícia por ter imunidade diplomática. Logo depois, foi despachado de volta a Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.