Dinheiro para obras de canalização encolhe

Investimento em ações contra enchentes foi 8,7% menor no ano passado do que 2008; Prefeitura faz outro cálculo

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

12 Janeiro 2011 | 00h00

Apesar do crescimento no caixa municipal, os investimentos municipais em ações antienchentes ainda não retornaram aos níveis de antes da crise de 2008. No total, R$ 358 milhões foram contratados no ano passado para obras como canalização e limpeza de córregos, obras emergenciais e construção de piscinões e galerias pluviais, contra R$ 389,4 milhões em 2008 - queda de 8,7%.

Para o cálculo, foram usadas as principais rubricas de saneamento dos três últimos anos, disponíveis no sistema de execução orçamentária da Prefeitura. Os valores estão atualizado até 19 de dezembro do ano passado e foram corrigidos pela inflação no período - que, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi de 10,47%.

A principal queda nos investimentos se deve às obras de canalização de córregos. Enquanto R$ 144,5 milhões foram investidos em ações do tipo, em 2010 apenas R$ 36,2 milhões foram empenhados - 75% a menos. A situação, no entanto, deve mudar no ano que vem: o Orçamento de 2011 a Prefeitura prevê R$ 681 milhões para obras antienchentes, um valor recorde.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura utilizou outro período para analisar os investimentos e disse que eles "têm sido ampliados ano a ano". Em nota, disse que eles "mais que quadruplicaram" entre 2005 e 2010, passando de R$ 97 milhões para R$ 422 milhões, mas não mostrou quais foram as rubricas analisadas para chegar nestes números.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.