Dilma veta porte de arma para guardas

A presidente Dilma Rousseff vetou o projeto de lei que previa o porte de arma, mesmo fora de serviço, por agentes e guardas do sistema penitenciário, integrantes das escoltas de presos e guardas portuários. Dilma justificou o veto afirmando que o Ministério da Justiça e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência se manifestaram contra a sanção. Para os dois ministérios, a aprovação do projeto aumentaria a quantidade de armas de fogo no País e iria na contramão da política de combate à violência.

O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2013 | 02h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.