Dilma não quer polemizar com Alckmin sobre crise hídrica

Dilma não quer polemizar com Alckmin sobre crise hídrica

Presidente listou investimentos que deveriam ter sido feitos pelo governador; nesta quarta, Alckmin disse que quer cooperação

Tânia Monteiro, O Estado de S. Paulo

29 de outubro de 2014 | 19h33

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff não está disposta a polemizar com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB, sobre a crise da falta de água no Estado, segundo fontes. Em entrevista, o governador Alckmin criticou a presidente pelas declarações que ela deu nesta terça-feira, alegando que a crise de abastecimento de água se deve à falta de planejamento da administração tucana.


Dilma listou uma série de investimentos que deviam ter sido feitos e não foram pelo tucano. Lembrou que, pela Constituição, a responsabilidade pela água é do governo do Estado, via Sabesp, e que o governador recusou ajuda financeira oferecida pelo Planalto para a realização de qualquer obra emergencial, para a solução do problema. 

Alckmin, por sua vez, reagiu respondendo que aceitou o dinheiro, que a disposição de seu governo é pelo diálogo e cooperação, para que possam trabalhar juntos em favor da população, e não por dar continuidade à disputa política, uma vez que a eleição já acabou. Segundo Alckmin, é preciso que a União estabeleça o abastecimento humano como uma prioridade e defendeu que o governo federal tire o imposto que é cobrado sobre a água, que considera "inacreditável".

No Planalto, assessores da presidente Dilma reiteraram que ela não vai ficar discutindo com Alckmin pela imprensa e que vale o que ela falou na entrevista desta terça. Assessores também disseram e que o governo federal continua à disposição do governo estadual para cooperar com a população. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.