Diante de crise, Kassab considera cortar despesas da Prefeitura

'Se identificarmos queda nas receitas, vamos atuar em relação às despesas', afirmou o prefeito

Carolina Freitas, da Agência Estado,

30 de outubro de 2008 | 13h01

Diante da crise econômica mundial, o prefeito reeleito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), já considera cortar gastos diante de uma eventual queda nas receitas da Prefeitura. "Se identificarmos quedas nas receitas, vamos atuar em relação às despesas", afirmou o prefeito. "Não podemos quebrar a Prefeitura." Ele esforçou-se no entanto pra tranqüilizar a população dizendo que, por enquanto, as receitas não diminuíram, não há cortes previstos e que a Prefeitura "está atenta".   Veja também:  Kassab chama Soninha de secretária e depois se corrige     A primeira reação de Kassab à ameaça de crise será o investimento na geração de empregos. O prefeito prometeu acelerar o programa Nova Luz, que incentiva empresas a se instalarem no Centro para combater o desemprego e gerar recursos. "O Nova Luz pode motivar investimentos e isso é fundamental para não baixar o número de empregos e gerar receita. Vamos procurar implantar o programa o mais rápido possível."   Reeleito com a promessa de priorizar a área social e investir no Metrô R$ 1 bilhão, Kassab negou-se a dizer que áreas poderiam sofrer cortes no orçamento com a chegada da crise ou se o investimento no Metrô ficaria comprometido. "Não vou dizer onde cortaria, mas jamais cortaria em transporte, saúde e educação, que são áreas prioritárias", disse Kassab, depois de vistoriar um Ônibus Biblioteca no Capão Redondo, zona sul da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.