Dia Mundial Sem Carro registra trânsito lento e acidente no Brás

Congestionamento chegou a 8 km; no Brás, carro desgovernado invadiu loja e atropelou sete pessoas

Alexssander Soares e Alessandra Penhalver

22 de setembro de 2007 | 16h56

No Dia Mundial Sem Carro, a capital paulista registrou neste sábado, 22, seis quilômetros de congestionamento ao meio-dia, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Às 9h20, o congestionamento era de 8 km. No Largo da Concórdia,  um carro desgovernado invadiu por volta das 9h30 o Lojão do Brás, centro de São Paulo, e atropelou sete pessoas.       Veja Também:  No Dia Sem Carro, Kassab pega ônibus lotado e ouve queixas     Veja a galeria de fotos do Dia Sem Carro   Testemunhas contaram à polícia que o motorista aparentava estar alcoolizado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o condutor seria submetido a um exame de dosagem alcoólica e prestaria depoimento no 12º Distrito Policial, do Pari, onde o caso foi registrado.   O principal ponto de lentidão era na Marginal Tietê, porque segundo a CET, havia um passeio de barcos, parte da programação da Virada Esportiva - que chamava a atenção dos motoristas. O evento da Prefeitura de São Paulo, com duração de 24 horas, seria realizado em várias partes da capital.   A virada seria aberta oficialmente, no Parque da Juventude, na zona norte, às 14 horas, pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM), acompanhado do governador José Serra (PSDB) e de nomes no esporte nacional, como Pelé.   Inspirado, no Dia Mundial Sem Carro, o prefeito organizou toda a agenda de atividades públicas utilizando transporte público. De ônibus, metrô e andando a pé, Kassab aproveitou também para testar a sua popularidade.   Prefeito pega ônibus   Logo cedo, o prefeito acompanhado dos secretários dos Transportes Alexandre de Moraes, e dos Esportes Walter Feldman, seguiram de ônibus da Avenida Brigadeiro Faria Lima, no ponto próximo à casa da Prefeito, em Pinheiros, até a Avenida Paulista para participar de café da manhã oferecido pelo Movimento Nossa São Paulo, do empresário Oded Grajew, principal divulgador do Dia Mundial Sem Carro.   "Há 30 anos o ex-prefeito Faria Lima já estimava que São Paulo precisava de 172 km de malha metroviária. E que hoje ainda estamos com 62, com um déficit de 110 km. Então, é necessário que a administração pública, seja Estado ou Prefeitura, invista cada vez mais no transporte público de qualidade", afirmou Kassab   Ao tomar o primeiro ônibus às 8h20 Kassab foi alvo da brincadeira de um torcedor corintiano, que sentado no fundo do ônibus, pedia para o prefeito construir um estádio para o seu time. Provocado pelo secretário Feldman, que em seguida pediu para os passageiros aproveitarem a presença do prefeito no ônibus para pedirem "qualquer coisa", Kassab ouviu pedidos para melhora da qualidade da Saúde e da Educação.   Ao participar do café da manhã na presença de Grajew o prefeito ressaltou o esforço de sua gestão para melhorar o transporte público na capital. Ao seu lado o empresário ressaltava que o Dia Mundial Sem Carro na capital paulista não deve ser medido pelo simples índice de congestionamento verificados no dia, mas "pelo despertar dos paulistanos de que o transito é uma doença e que quando se tem consciência desta doença pode pensar na sua cura".   Em seguida, o prefeito acompanhado de uma comitiva experimentou sua popularidade no metro paulistano. Primeiro foi a uma escola municipal infantil na Vila Mariana. Lá, no programa Sábado na Escola, onde os pais retiram leite. A produtora contratada da Prefeitura acompanhou a visita entre as crianças.    Depois seguiu para Estação Clínicas, novamente no metro, quando percorreu seis estações de Ana Rosa até clinicas. O prefeito foi abordado por uma moradora da Vila Matilde que elogiou o projeto Cidade Limpa. "O senhor está de parabéns. A cidade está linda", disse a senhora arrancando um sorriso de Kassab, que tem no projeto Cidade Limpa sua principal bandeira de governo.   O roteiro do prefeito continuou em direção à uma sinagoga no bairro de Higienópolis quando ele voltou a tomar um ônibus da Rua Teodoro Sampaio até Higienópolis. Nesta parte do roteiro o prefeito experimentou a demora que os passageiros enfrentam nas paradas de ônibus. Kassab aguardou quase meia hora até a chega de de um ônibus que o levou até próximo à sinagoga.   Popularidade   No trajeto o prefeito voltou a testar a sua popularidade perguntando a um morador da Vila Gustavo, zona norte, se ele estava satisfeito com o trabalho da prefeitura no seu bairro. "o senhor está feliz com a gente lá?", perguntou Kassab. Como resposta o prefeito ouviu que o leite estava agora sendo entregue normalmente e que as ruas estavam sendo recapeadas no bairro disse o trabalhador para Kassab e sua comitiva.   De ônibus fretado seguiu para hebraica na seqüência de sua agenda Kassab participou da abertura da virada esportiva no Parque Juventude, no Carandiru ao lado de nomes do esporte nacional como Pelé e do governador José Serra.  

Tudo o que sabemos sobre:
Dia Mundial sem Carro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.