DF é condenado a devolver R$ 205 milhões ao SUS

Decisão aconteceu pelo fato de o porcentual mínimo de investimento na área de saúde, não ter sido aplicado

estadão.com.br,

15 de dezembro de 2010 | 02h39

SÃO PAULO - A Justiça Federal condenou o governo do Distrito Federal (DF) a devolver cerca de R$ 205 milhões, corrigidos monetariamente, aos cofres do Sistema Único de Saúde (SUS) do DF. A decisão ocorreu pelo fato de o porcentual mínimo de investimento na área de saúde, exigido pela Constituição, não ter sido aplicado.

 

O julgamento é resultado de uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) no DF, em outubro de 2007. Auditoria feita pelo Departamento Nacional de Auditoria do SUS, a pedido do MPF, constatou que o governo do DF não aplicou os recursos devidos nos exercícios de 2001 a 2004.

 

O juiz federal Gustavo André Oliveira dos Santos, da 13ª Vara, aceitou todos os argumentos apresentados pelo MPF. Ele considerou ilegal a alegação do governo de que poderia incluir, nos exercícios de 2003 e 2004, despesas de anos anteriores para cumprimento da Emenda Constitucional 29 - norma que regulariza a obrigação de aplicar um mínimo de investimentos em saúde.

 

O juiz afirmou na sentença que, "A intenção na norma ao estabelecer porcentual mínimo de aplicação de recursos foi o de, em tese, propiciar um sistema de saúde com o mínimo de eficiência e qualidade todos os anos, razão pela qual a não aplicação do índice mínimo em determinado ano não pode ser compensada com aplicação superior nos anos subsequentes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.