Dez pessoas são presas por espionagem telefônica em SP

Empresários e políticos participavam do esquema, que também teria envolvimento de policiais civis e militares

Da Redação,

07 Janeiro 2009 | 12h50

Dez pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira, 7, durante a Operação Spy em São Paulo. Os presos são acusados de fazer parte de um esquema de espionagem telefônica que envolve políticos e empresários. Mais de cem pessoas tiveram os sigilos telefônico, bancário e fiscal quebrados. As investigações apontam que há participação de executivos de empresas de telefônica e funcionários de bancos e da Receita Federal.   O grupo é acusado pelos promotores do Grupo de Atuação Especial e Controle Externo da Atividade Policial (Gecep) e dos policiais do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). As investigações duraram quatro anos.   Entre os acusados estão oito detetives particulares, um funcionário da Receita, quatro funcionários da Vivo e dois funcionários de bancos. Um delegado, três investigadores, um escrivão e um coronel da Polícia Militar também estão sob investigação.

Mais conteúdo sobre:
espionagem Operação Spy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.