Detidos em protesto em São Paulo são soltos

Um professor, um artesão e três menores foram liberados depois de prestar depoimento no 78º DP (Jardins); eles se envolveram em tumulto na Avenida Paulista

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

06 Novembro 2013 | 17h37

SÃO PAULO - Os cinco detidos na manifestação na Avenida Paulista na noite de terça-feira, 5, foram liberados logo após serem ouvidos no 78° DP (Jardins), segundo a Secretaria de Segurança Pública. Entre eles estavam três menores de idade - de 15, 16 e 17 anos, entregues aos pais mediante assinatura de termo de compromisso de apresentação na Vara da Infância e da Juventude. Os outros dois detidos são um professor de 23 e um artesão de 49.

O protesto, que começou por volta das 19h40, foi pacífico durante o percurso da Avenida Paulista ao Parque do Ibirapuera e de volta à Avenida Paulista. A Polícia Militar, com efetivo de 115 pessoas, escoltou os cerca de 100 manifestantes por todo o trajeto. Ao chegarem no cruzamento da Paulista com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio, um dos manifestantes soltou um rojão, o que deu início ao tumulto.

A polícia afirma que foi retirar os rojões que estavam com os manifestantes e receberem chutes de volta, ao que revidaram. Os manifestantes por sua vez, alegam que a PM reagiu ao rojão com golpes de cassetete. De acordo com o boletim de ocorrência, os detidos negam as agressões aos policiais.

Fogos de artifício, uma camiseta preta, um martelo e um skate foram apreendidos pela polícia. O caso foi registrado como desacato, resistência, disparo de arma de fogo (rojão) e ato infracional (em relação aos menores de idade).

Mais conteúdo sobre:
protesto paulista detidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.