Detida gerente do Pão de Açúcar da Praça Pan-Americana

Vigilância Sanitária achou produtos vencidos no supermercado; Carrefour do Eldorado também tinha problemas

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2010 | 00h00

A Vigilância Sanitária de São Paulo autuou ontem dois supermercados que vendiam produtos com prazo de validade vencido ou em condições inadequadas: o Pão de Açúcar da Praça Pan-Americana e o Carrefour do Shopping Eldorado, na zona oeste.

No Pão de Açúcar, os fiscais encontraram produtos vencidos na área de venda, salsichas embaladas de maneira inadequada e peixaria com produtos em temperatura errada, entre outras irregularidades. A padaria da loja foi interditada. A gerente da unidade foi detida em flagrante e encaminhada à 1.ª Delegacia de Saúde Pública. Ela foi liberada na noite de ontem, após o pagamento de fiança de R$ 1,5 mil.

Foram encontrados no Carrefour carne à venda sem identificação, patês vencidos e temperatura inadequada nas gôndolas de pizzas. Segundo a Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa), os fiscais chegaram a recolher alimentos com sinais de fungos, apesar de estarem dentro do prazo de validade. O caso seria registrado na noite de ontem pela Polícia Civil, quando o gerente prestaria depoimento.

A Assessoria de Imprensa do Pão de Açúcar afirmou que a questão é pontual e que os problemas já foram corrigidos, com a retirada dos produtos irregulares da área de vendas. "Os funcionários foram reorientados para redobrar a atenção sobre o padrão de excelência exigido pela empresa. A rede esclarece ainda que trabalha em acordo com as normas sanitárias e de segurança alimentar e tem rigoroso procedimento em auditar a qualidade e validade dos produtos comercializados em suas lojas", informou por meio de nota.

O Carrefour atribuiu as irregularidades a uma "quebra de procedimento, por falha humana ou técnica, que será rigorosamente investigada e punida". A empresa informa que mantém rígido controle dos produtos oferecidos a partir de processos de verificação e supervisão.

CPI. Os fiscais acompanhavam vereadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as ações da Covisa. Os parlamentares receberam denúncias de que havia produtos irregulares nas duas lojas. Nos próximos dias, os vereadores pretendem intensificar as inspeções em outras lojas e também em bares e restaurantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.