Detento preso por roubo após receber saída temporária afirma não ter mãe

Ao deixar cadeia em Sorocaba, bandido realizou arrastão em posto de gasolina no centro de SP

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

12 de maio de 2012 | 03h42

SÃO PAULO - Horas depois de deixar a Penitenciária de Sorocaba, no interior paulista, para gozar da saída temporária de Dia das Mães, o assaltante Fernando Silvério Alves, de 33 anos, conhecido como "Gordo", condenado por roubo, foi preso, por volta das 20h45 de sexta-feira, 11, na Avenida Rudge, próximo à Ponte da Casa Verde, região centro-norte da capital paulista, após, ao lado de um comparsa, realizar um arrastão no interior de um posto Shell, localizado na Avenida Rio Branco e distante aproximadamente 1,5 quilômetro do local do flagrante.

 

Armada com um revólver calibre 38, a dupla rendeu um frentista e quatro clientes, dos quais foram levados relógios, tênis e dinheiro. Na fuga, os dois criminosos, que também assaltaram o caixa do estabelecimento, onde havia R$ 350,00, utilizaram um Fox de uma cliente, rendida também quando abastecia o veículo. Policiais militares do 13º Batalhão, em patrulhamento na região, foram alertados por uma das vítimas. Outras viaturas entraram no circuito e o cerco ocorreu minutos depois.

 

Segundo os policiais militares, no momento em que o Fox foi parado, nele estava apenas Fernando que, durante a fuga, teria deixado o comparsa em uma das travessas da Avenida Rudge. Parte do dinheiro e dos objetos levados das vítimas foi recuperada. "Gordo" foi encaminhado para o plantão do 77º Distrito Policial, de Santa Cecília, e autuado por roubo qualificado. Como em Sorocaba cumpria pena no regime semiaberto, Fernando não deve voltar para a mesma penitenciária, pois agora perde esse direito e retornará para uma cadeia de sistema fechado.

 

Em depoimento na delegacia, Fernando disse que foi condenado a 7 anos de prisão e que faltava apenas um para ganhar a liberdade. Uma informação que a polícia não conseguiu confirmar durante a noite e que foi fornecida pelo próprio acusado é de que a mãe de "Gordo" já estaria morta há alguns anos. A Polícia Civil agora irá comunicar o fato à Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), que deve apurar tal informação.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Dia das MãesSorocabaSAParrastão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.