Reprodução
Reprodução

Detento mata namorada durante visita em presídio

A mulher, de 20 anos, foi estrangulada na prisão de Lavínia porque queria terminar o relacionamento

Sandro Villar, O Estado de S.Paulo

31 Março 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

PRESIDENTE PRUDENTE

Inconformado com o fim do namoro, o preso Donizete Bastos, de 27 anos, matou sua namorada, Laura Helena Rosolem, de 20, sábado, durante visita íntima no presídio de Lavínia, a cerca de 600 km da capital, no noroeste paulista. Ela teria comunicado sua decisão de terminar o relacionamento.

A mulher foi encontrada desmaiada dentro do banheiro da cela que Bastos ocupava com outros detentos. Ele chamou os seguranças e disse que tinha agredido a mulher. Mais tarde, confessou o crime. Levada para o hospital de Mirandópolis, a moça não resistiu. As circunstâncias da morte estão sendo investigadas pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), mas aparentemente Laura foi estrangulada.

RDD. A primeira providência foi transferir o acusado para outro presídio - não divulgado por medida de segurança, segundo a Assessoria de Imprensa da SAP. Está prevista sua transferência para a penitenciária de Presidente Bernardes, no oeste paulista, onde ficará no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD).

A internação, no entanto, depende da Justiça. "Estamos aguardando a autorização judicial", informou a Assessoria de Imprensa, acrescentando que o preso ficará no RDD pelo "período estipulado pelo juiz".

Condenado por tráfico e formação de quadrilha, Bastos também responderá por homicídio. Além do acusado, a SAP vai ouvir os presidiários que dividiam a cela com ele e funcionários do presídio de Lavínia. O casal tem uma filha de 3 anos. A menina será entregue aos avós paternos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.