Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Detento em saída temporária é preso acusado de dois roubos

Vítimas reconheceram jovem; apesar de não ter mãe, ele foi beneficiado com o indulto dos Dias das Mães

Daniela do Canto, da Central de Notícias

11 Maio 2009 | 04h35

Enquanto desfrutava de uma saída temporária da Penitenciária de Franco da Rocha, um jovem de 22 anos que cumpre pena em regime semiaberto foi preso acusado de dois roubos na região central de São Paulo, na noite de domingo, 10. Embora estivesse em liberdade graças ao indulto de Dia das Mães, Willian Brás de Oliveira revelou que não possui mãe para visitar. Brás afirmou que ela morreu quando ele tinha 1 ano e 3 meses.

 

Ele também disse que não é casado. Questionado sobre a razão pela qual recebeu o indulto, o acusado respondeu apenas que recebeu o benefício. Aos jornalistas, Brás confessou a participação em apenas um dos assaltos do qual é acusado, a uma jovem de 21 anos.

 

Conforme policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE), que efetuaram a prisão, o detento, que cumpre pena por roubo, deixou a cadeia no último sábado, 9, e deveria retornar nesta terça-feira, 12. Os dois roubos dos quais ele é acusado foram praticados em um espaço de aproximadamente dez minutos. Nos dois crimes o preso estava acompanhado de um comparsa, que conseguiu fugir.

 

Os assaltos

 

Dois homens chegaram à Pizzaria Bambino, na esquina das alamedas Barão de Limeira e Ribeiro da Silva, por volta das 22h50. Três funcionários e um cliente estavam no local. "Primeiro eles revistaram o cliente, que ficou com o revólver apontado para ele, depois pediram o caixa, pegaram o dinheiro, colocaram numa sacola e foram embora", contou o forneiro, de 26 anos.

 

De acordo com o funcionário, a ação foi rápida. "Foi questão de um minuto", afirmou. Os bandidos levaram da pizzaria cerca de R$ 1,2 mil em dinheiro, cheques e um aparelho Nextel.

 

Por volta das 23h, a dupla abordou uma gráfica de 21 anos quando ela deixava o Terminal Princesa Isabel, na Avenida Rio Branco. O roubo aconteceu a poucos metros do 13º Batalhão da Polícia Militar. Assim que os criminosos pegaram a sua bolsa, a vítima viu uma viatura do GOE, que passava pelo local, e começou a gritar.

 

Os policiais conseguiram pegar Brás, mas o comparsa fugiu. Apenas o celular da gráfica foi recuperado, já sem a bateria. As vítimas reconheceram Brás como um dos assaltantes mas, conforme elas, nos dois crimes quem estava armado era o homem que conseguiu fugir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.