Desrespeito ao rodízio lidera número de multas em SP

Excesso de velocidade e estacionamento proibido estão em 2.º e 3.º lugares na lista das infrações registradas

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

28 de novembro de 2007 | 15h16

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) divulgou nesta quarta-feira, 28, o balanço das multas de trânsito aplicadas no período de janeiro a outubro de 2007 na cidade de São Paulo. O levantamento aponta aumento de 5% no total de infrações autuadas em comparação com o mesmo período de 2006. De janeiro a outubro deste ano, foram contabilizadas 3.430.408 multas diante das 3.276.130 em igual período do ano anterior. O comparativo revela que o aumento no total de multas aplicadas foi motivado por três infrações que figuram entre as mais cometidas: excesso de velocidade, ultrapassagem de semáforo vermelho e uso de celular ao volante. As multas aplicadas para esses enquadramentos tiveram, em média, aumento de 14,7% e refletem posturas inadequadas no trânsito, que colocam em risco, além da segurança física do próprio motorista, a vida de outros motoristas e pedestres. Os principais enquadramentos no período foram: 1 - Desrespeito ao Rodízio Municipal de Veículos - 1.118.694 multas (33%). Embora seja a infração campeã de autuações na cidade, o desrespeito ao rodízio recuou 13% no período de janeiro a outubro deste ano em comparação com o mesmo período de 2006. Essa tendência pode ser associada à intensificação na fiscalização, a partir de julho de 2005, com o uso de equipamentos dotados de tecnologia de Leitor Automático de Placas (LAP), que contribuiu para que o índice médio de obediência ao esquema passasse de 85% para 88%, no pico da manhã, e de 78% para 82%, no pico da tarde, no ano passado. Apesar do aumento da frota em São Paulo (de 4,7 milhões de veículos em 1997 para cerca de 5,5 milhões em 2007), a operação tem ajudado a manter estáveis os níveis de lentidão na capital, conforme a CET. O desrespeito ao rodízio constitui infração média e os motoristas ficam sujeitos à multa de R$ 85,13 e quatro pontos na Carteira de Habilitação.  2 - Excesso de velocidade - 937.039 multas (27%). A infração aparece em segundo lugar, com aumento de 15% no total de multas aplicadas em comparação com o ano passado. Para combater esse comportamento e aumentar a segurança no trânsito, a fiscalização eletrônica é uma das medidas mais eficazes. A cidade conta com 166 equipamentos eletrônicos, tipo radar, para fiscalizar e punir motoristas que trafegam em velocidade superior ao limite máximo estabelecido para a via. A infração por excesso de velocidade varia de média a gravíssima - até 20% acima da velocidade permitida para o local (infração média, multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira de motorista); de 20% a 50% acima da velocidade permitida para o local (infração grave, multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira de habilitação) e acima de 50% (infração gravíssima, multa de R$ 574,62 e sete pontos na carteira de motorista). 3 - Estacionamento proibido - 604.697 (19%). Além de comprometer a segurança no trânsito, um veículo estacionado em local proibido, em vias com elevado índice de saturação, interfere na capacidade da via e na fluidez do trânsito. A ocupação de uma faixa de rolamento por um veículo parado em uma via coletora, que abastece vias principais, como, por exemplo, a Rua Augusta durante 10 minutos, gera aproximadamente 1,5 quilômetro de lentidão (cerca de 10 cruzamentos) A CET criou vagas de estacionamento rotativo (zona azul). Hoje, existem 32.817 vagas localizadas principalmente na área que compreende o centro expandido da cidade. Quem estaciona em desacordo com a sinalização está sujeito à multa leve, média ou grave. Se a infração for leve, a multa será de R$ 53,20 e três pontos na Carteira de Habilitação.  4 - Dirigir falando ao telefone celular - 206.613 (6%). Essa infração ocupa a quarta posição entre as mais aplicadas, registrando aumento de 12% no total de multas aplicadas, em comparação com o mesmo período do ano passado. Estudo realizado pelo Laboratório de Investigação do Transporte da Inglaterra revela que os tempos de reação dos motoristas são 50% mais lentos quando dirigem falando ao telefone celular, sem viva voz, do que em condições normais. Os testes revelam ainda que os motoristas perdem a capacidade de manter uma velocidade constante e é mais difícil conservar a distância de segurança com o automóvel à frente. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) considera a infração de natureza média e estabelece multa de R$ 85,13 e quatro pontos no prontuário do motorista infrator. 5 - Ultrapassagem de semáforo vermelho - 150.864 (4%). A quantidade de multas aplicadas aumentou 17% no período do comparativo - 22.129 registros a mais. Para coibir o abuso, há três meses, a CET vem ampliando o número de equipamentos que registram fotograficamente os veículos que ultrapassam a faixa de retenção ou de pedestres quando o semáforo está vermelho. Atualmente, estão em funcionamento 84 Refis (Registrador Fotográfico de Infrações ao Semáforo), popularmente conhecidos como 'caetanos'. Até março de 2008, está prevista a instalação de mais 40 aparelhos. Os motoristas que ignoram o farol vermelho cometem infração gravíssima, multa de R$ 191,54 e sete pontos na Carteira de Habilitação. 6 - Dirigir sem cinto de segurança - 93.504 (3%). Apesar da pequena variação na quantidade de multas aplicadas - aumento de 5% em comparação com o mesmo período de 2006 -, a obediência ao uso do cinto de segurança é uma tendência observada desde 2003. Só no ano passado, por exemplo, 92,7% dos condutores, 90,5% dos passageiros no banco dianteiro e 10,2% dos acompanhantes no banco traseiro usaram o equipamento. Os infratores estão passíveis de multa de R$ 127,69 e cinco pontos somados à Carteira de Habilitação. A infração é grave.

Tudo o que sabemos sobre:
CETRodízio de veículos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.