Desrespeito a pedestre: 3 multas ao dia

Mas número de infrações é muito maior na capital, que registrou 630 mortos por atropelamento em 2010; CET vai intensificar fiscalização

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

29 Julho 2011 | 00h00

É pequeno o número de autuações por desrespeito aos pedestres em São Paulo. Dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) revelam que, em média, só três veículos são multados diariamente na capital por não darem prioridade a quem está a pé.

São três as principais infrações que comprometem a segurança dos pedestres: não dar preferência às pessoas na faixa, não aguardar o pedestre completar a travessia e deixar de dar atenção a ele nas conversões. Em 2010, a fiscalização dessas situações por agentes da CET resultou em 1.009 multas - uma quantidade pequena se comparada, por exemplo, à média de 5,7 mil veículos autuados por dia por furar o rodízio. Todas essas infrações estão previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que já vigora há 14 anos.

Vice-presidente da Associação Brasileira de Pedestres, o engenheiro de trânsito Horácio Augusto Figueira defende uma revisão das prioridades. "Deveriam largar a fiscalização de Zona Azul e rodízio para focar nas autuações que evitam acidentes e salvam vidas", diz. A CET promete intensificar, a partir do dia 8, a fiscalização dessas infrações para tentar diminuir as mortes por atropelamento - foram 630 em 2010. Inicialmente, só marronzinhos do centro e do entorno da Avenida Paulista estarão orientados a multar motoristas por esses motivos. Deixar de dar a seta para dobrar a esquina e parar sobre a faixa quando o semáforo fecha também ganharão "especial atenção".

Infrações. Ontem à tarde, a reportagem esteve por meia hora em um cruzamento movimentado no centro, o da Rua Libero Badaró com o Viaduto do Chá, e contou 14 veículos, a maioria motos, cometendo infrações. O motorista Amarilson Nogueira, de 46 anos, chegou a estacionar o carro sobre uma parte da faixa da Rua Libero Badaró. "Só parei um pouco para dar ré e acertar o carro na vaga", justificou. Informado que essa conduta será alvo dos marronzinhos, ele disse ser favorável ao endurecimento da fiscalização. "Há cerca de três anos, fui a Brasília e vi que lá esse respeito aos pedestres existe de verdade."

Nos 30 minutos em que a reportagem esteve na área, três veículos cruzaram a faixa de pedestres quando o semáforo estava aberto para a travessia. Dois eram pequenos caminhões de coleta de lixo da Prefeitura e o outro, um carro-forte. Em nota, a CET informou que "a circulação dos carros-fortes pelas faixas de pedestres é considerada uma infração de trânsito" e que "autua esses veículos quando flagrados". A respeito dos carros de coleta, respondeu que "vai reorientar os motoristas das empresas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.