Desmembramentos vão reduzir duração de julgamento

Análise: Warley Belo

É ADVOGADO CRIMINALISTA, DIRETOR DO , INSTITUTO DOS ADVOGADOS DE MINAS GERAIS , O Estado de S.Paulo

21 Novembro 2012 | 02h05

Os réus parecem ter se apegado à ideia de que, quanto mais tempo demorar para serem julgados, melhor. A meu ver, isso é um tiro no pé. É uma estratégia que, se existir realmente, só cansa e irrita os jurados, não traz nenhum benefício.

Em situações como essas, a melhor alternativa é fazer um trabalho sério em cima dos fatos. Essas manobras podem ser interpretadas de maneira negativa pelos jurados, pode causar uma animosidade em relação aos réus.

Além do mais, o novo advogado do Bruno vai pegar o processo em pleno julgamento, são mais de 15 mil páginas. São táticas da defesa que eu não usaria, fica parecendo uso de recursos à margem da legalidade, quando ela deveria ser o mais técnica possível. Ainda mais levando em conta que o júri é formado em sua maioria por mulheres, o nível de preocupação subjetiva é maior do que se fossem homens.

Com esses desmembramentos, acredito que a duração do julgamento deva ser menor. Antes a previsão era de dez dias. Agora, calculo que até sexta-feira, no mais tardar segunda-feira, estará terminado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.