Desenho da Marginal data de 1930

A Marginal do Tietê é, na verdade, uma série de avenidas que formam um anel viário metropolitano (como o Rodoanel atual), pensado pelo prefeito Prestes Maia dentro de seu Plano de Avenidas, apresentado em 1930. Na época, ele ainda era engenheiro da Secretaria de Viação e Obras Públicas.

O Estado de S.Paulo

11 Março 2012 | 03h01

Durante sua gestão na Prefeitura (1938-1945), ele ainda projetou e abriu as Avenidas Duque de Caxias, 9 de Julho, Ipiranga, Conceição, Vieira de Carvalho, São Luís e Anhangabaú e as Praças Roosevelt e Clóvis Beviláqua. Construiu ainda a Ponte das Bandeiras, a Biblioteca Municipal, a Galeria Prestes Maia, alguns viadutos (com exceção de Santa Ifigênia e Chá). Ainda fez o plano da Avenida Itororó - que daria lugar à 23 de Maio - e da Marginal.

A Marginal do Tietê, aliás, é originalmente uma rodovia estadual, identificada oficialmente como SP-015, que liga a Marginal do Pinheiros à Rodovia Ayrton Senna. Tem como outro nome oficial Professor Simão Faiguenboim - embora tenha trechos com outras sete denominações. O nome oficial, mas por muitos desconhecido, se refere ao professor que dirigiu o Curso Anglo desde o término da 2.ª Guerra Mundial.

O primeiro trecho foi inaugurado em 1957 (era, na época, a Avenida Marginal Direita do Tietê). O último trecho construído, entre a Ponte Aricanduva e a divisa com Guarulhos, ficou pronto em 1977.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.