Desempenho é superior em Santos

Na Unifesp, o câmpus da Baixada Santista é o único no qual os alunos cotistas têm desempenho superior ao dos não cotistas. Lá, a diferença de notas chega a 8,71%. Essa também é a unidade com menos estudantes beneficiados pela política afirmativa: só 80 dos 1.523 matriculados em 2012 - 5,25% do total.

ALINE PORFÍRIO, ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS, O Estado de S.Paulo

19 Maio 2013 | 02h01

Em Santos, funcionam sete cursos: Educação Física, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional, além do bacharelado interdisciplinar em Ciência do Mar.

Para a fisioterapeuta e professora Stella Peccin, que dá aulas em todos os cursos da unidade, os bons resultados são fruto do estímulo ao cotistas.

"Usamos meios e projetos para que os estudantes se sintam estimulados a buscar informação e trabalhar em grupo, dissolvendo dessa forma eventuais dúvidas", diz. "Buscamos sempre equacionar o padrão para mais, nunca para menos."

Segundo cotistas ouvidos pela reportagem, passar no vestibular é mais difícil do que acompanhar o curso.

Aluno do último ano de Psicologia, Carlos Eduardo Costa, de 27 anos, diz que chegou "defasado" para a seleção. "Mas, quando entrei na universidade, notei que outros colegas tinham dúvidas em algumas disciplinas iguais às minhas. Ter dificuldade não é algo exclusivo de cotista."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.