Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

''Descobrirão quem sou da maneira mais radical''

Novo vídeo mostra que pelo menos desde julho assassino já planejava massacre no Rio

Pedro Dantas e Bruno Lousada, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2011 | 00h00

RIO

A Polícia Civil do Rio divulgou ontem um outro vídeo do autor do massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, zona oeste da cidade. Em 58 segundos, Wellington Menezes de Oliveira diz que se vingará em nome "daqueles que são humilhados, agredidos, desrespeitados, principalmente em escolas e colégios, pelo fato de serem diferentes".

"A maioria das pessoas me desrespeita, acha que eu sou um idiota, se aproveitam (sic) da minha bondade e me julgam antecipadamente. São falsas e desleais. Descobrirão quem eu sou da maneira mais radical em uma ação que farei pelos meus semelhantes, que são humilhados, agredidos, desrespeitados, em vários locais. Principalmente em escolas e colégios pelo fato de serem diferentes, de não fazerem parte dos grupos dos infiéis, dos desleais, dos falsos, dos corruptos, dos maus. São humilhados por serem bons'', diz o assassino.

O vídeo estava no disco rígido de um computador encontrado na casa do assassino. Como o último acesso à máquina foi em julho de 2010, investigadores acreditam que ele planejava a ação pelo menos desde o ano passado. Anteontem, dois trechos de um outro vídeo foi divulgado pela TV Globo.

O inquérito do crime deve ser concluído até amanhã. A Divisão de Homicídios aguarda laudos da perícia na escola, exame toxicológico e perfil psicológico do atirador, que estão sendo feitos pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli, para remeter denúncia ao Ministério Público.

Investigadores ouvidos pela reportagem revelaram que a polícia possui outros vídeos e manuscritos de Wellington, mas nada que altere o rumo das investigações.

Além das gravações, o Estado teve acesso a depoimentos da irmã, do primo e do sobrinho de Wellington. Todos eles afirmaram que o atirador passou a beber e a fumar depois da morte da mãe de criação, no final de 2009. As declarações ajudaram a derrubar uma tese que chegou a ser levantada de ligação do criminoso com grupo religioso.

Vítimas. Ontem, o menino Luan Gomes Cruz, de 13 anos, teve alta do Hospital Universitário Antônio Pedro, em Vila Isabel, na zona norte do Rio. Cinco estudantes baleados permanecem internados.

TSE pró-plebiscito

RICARDO LEWANDOWSKI

PRESIDENTE DO TSE

"A democracia permite que se faça tantas consultas à população quanto forem necessárias. Há fatos novos, em comparação com o referendo de 2005, como as mortes em Realengo.

Mas acho que a data ideal seria 15 de novembro (o Senado defende que seja em 2 de outubro)."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.