Descaso da TAM

PERDA DE VOO

O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2011 | 03h03

Em 17/1 comprei 4 passagens aéreas da TAM de São Paulo para Milão, para o dia 7/7. Como a chegada a Milão estava prevista para as 13 horas do dia 8/7, comprei passagens da Alitalia, Milão-Roma, para as 15h20 do mesmo dia, portanto com tempo suficiente para a conexão. Porém, a TAM alterou o horário do voo para as 22h20 e não me comunicou! Só soube dessa mudança no dia da viagem, quase na hora do embarque, em 7/7. Perdi a conexão e, como as passagens da Alitalia não eram reembolsáveis, tive de gastar 861,71 com outros bilhetes. Quando solicitei o reembolso à TAM, foi alegado que eu fora avisada em 18/5. De fato liguei para a central de atendimento nesse dia para confirmar os assentos, mas ninguém me informou da mudança de horário do voo. A TAM diz que tem a gravação do telefonema, mas se recusa a mostrá-la, pois é "somente para uso interno". Considero um desrespeito ao cliente.

MARCIA FRANKENTHAL / SÃO PAULO

A TAM responde que entrou em contato com a sra. Marcia para reiterar que, em 18/5, foram prestados todos os esclarecimentos a respeito das alterações ocorridas em sua reserva. Em situações como a relatada, procura avisar os clientes com antecedência para que possam se reprogramar.

A leitora desmente: A TAM afirma ter a gravação do telefonema, mas se recusa a exibi-la. Por quê? Se eu soubesse que o horário do voo seria alterado, por que manteria uma conexão que perderia? Se o funcionário se esqueceu de comunicar a alteração do horário do voo, a TAM deveria reparar a sua falha do e não responder de forma evasiva.

CICLOVIA EM MOEMA

CET versus moradora

É louvável a criação de um plano de ciclovia para São Paulo, mas não da maneira como foi implantado em Moema. Os automóveis terão de estacionar no meio da rua; e os corredores movimentados, como nas Ruas Pavão e Rouxinol, vão ficar com apenas uma pista para os carros. Quem fez os estudos de viabilidade? Munique e Viena têm ciclovia na calçada, dividida para pedestres e bicicletas e funciona muito bem. Por que não se espelhar nesses modelos?

SANDRA GIRAUDON / SÃO PAULO

A CET informa que a Rede Cicloviária de Moema é um projeto-piloto e os ajustes estão sendo e serão feitos de acordo com a necessidade e comodidade de todos. O projeto foi elaborado a partir das propostas apresentadas por cicloativistas da região. Os moradores estão sendo chamados constantemente para diálogo. Acrescenta que as ruas citadas continuarão com 3 faixas de rolamento no horário de pico. A implantação no bairro se explica por registrar viagens internas curtas, menos de 5 km, tanto de moradores quanto de entrega de mercadorias, que podem ser feitas, portanto, de bicicleta. Acrescenta que os modelos seguidos foram de grandes cidades como Paris, Londres e Nova York.

A leitora contesta: Moro há mais de 10 anos em Moema e não conheço nenhum cicloativista na região. Só conheço um único ciclista, que é o entregador de água em garrafões. E nunca fui chamada para conversar com a CET. Só sobrou a pista do meio para os carros nas Ruas Rouxinol e Pavão! Esse modelo não é usado nem em Londres nem em Paris, como disse a CET. Gostaria que a CET, como exemplo para todos nós, divulgasse todos os seus funcionários-padrão que utilizam bicicleta para ir trabalhar, principalmente os que vivem a menos de 5 km do trabalho. Seria mesmo motivante.

TRANPORTE PÚBLICO

Piora a cada dia

A SPTrans faz algum tipo de estudo sobre a relação do crescimento da população paulistana com a necessidade de aumento do transporte público? Após a mudança do trajeto da Linha 3731 (Vila Matilde/Shop. Aricanduva), os micro-ônibus ficaram superlotados. Resido na Vila Matilde há muito tempo e o transporte público só piorou. Enviei um e-mail à SPTrans pedindo uma mudança, em vão.

CARLOS HENRIQUE OLIVEIRA

/ SÃO PAULO

A SPTrans não respondeu.

O leitor diz: Nada mudou.

CALÇADAS NA CAPITAL

Mau exemplo

O mau exemplo da Prefeitura em não cuidar das calçadas (31/10, C1) ocorre há muito tempo. O serviço malfeito para uniformizar as calçadas da Avenida Rebouças e das Ruas dos Pinheiros e Teodoro Sampaio é um exemplo. Em pouco tempo elas ficaram como eram antes. A Prefeitura será obrigada a refazer o trabalho? Quem não o fizer será multado?

PEDRO LUÍS DE C. VERGUEIRO

/ SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.