Descaso da NET se repete

ATENDIMENTO PRECÁRIO

O Estado de S.Paulo

07 Março 2013 | 02h04

No dia 20/2, uma quarta-feira, o sinal da internet caiu e entrei em contato com a NET para marcar um agendamento técnico. Foi acertado para o dia seguinte, entre 8 e 12 horas, mas ninguém apareceu. Liguei na empresa e me informaram que o técnico só poderia vir após as 17 horas. Expliquei ao atendente que, por normas do prédio, não poderia recebê-lo. Liguei na Ouvidoria e a funcionária confirmou que o técnico viria entre 14 e 17 horas, mas o que aconteceu? Ninguém apareceu e mais uma vez perdi um dia de trabalho, não paguei as contas e não fiz o que precisava, afinal, fiquei durante 9 horas à disposição da NET! Liguei novamente na Ouvidoria, mas a ligação caiu. Ao conseguir falar com um atendente, ele garantiu que a equipe técnica viria entre 11 e 14 horas de sexta-feira. No entanto, de novo, na sexta-feira até as 14 horas, ninguém apareceu. Ao entrar em contato, a funcionária disse que o técnico viria até as 17 horas. Agora, quem vai arcar com todo o meu prejuízo? Sofri danos materiais e morais, deixei de pagar as contas, perdi dois dias e meio de trabalho. E, mais uma vez, a Ouvidoria da NET não serviu para nada, somente para ajudar a enrolar o consumidor. Quem responde pela NET?

DANIELLA FALLUH / SÃO PAULO

A NET informa que, após atendimento técnico realizado na residência da cliente, a questão foi solucionada. A empresa permanece

à disposição.

A leitora responde: A NET entrou em contato e ofereceu um desconto que não paga nem a metade do prejuízo que tive com todo esse descaso.

TRAGÉDIA NA IMIGRANTES

Motoristas sem informação

A Ecovias foi irresponsável ao não informar adequadamente aos usuários da via sobre o deslizamento ocorrido na Imigrantes no dia 22/2. Por volta das 11 horas de 23/2 fomos a Santos, pois não sabíamos do ocorrido. No painel da estrada, só havia menção a trânsito lento em alguns trechos. Depois de horas parados na serra, recebemos um telefonema da minha mãe, apavorada, pois ela tinha visto a notícia na TV. Por que a Ecovias, o DER ou a PM Rodoviária não avisaram já na saída da capital sobre o problema? Chegamos em Santos após 3h30 de viagem e já voltamos, pois tínhamos compromisso na capital, que perdemos, claro, pois pegamos a balsa para o Guarujá (1h30 de fila), depois para Bertioga (mais 3h30) e subimos pela Mogi-Bertioga. Chegamos em casa à meia-noite. Gastamos muito com gasolina, balsa e pedágio. Solicito o estorno do pedágio. Falta respeito ao cidadão!

VALÉRIA COSTA / SÃO PAULO

A Ecovias esclarece que pôs à disposição todas as informações sobre as condições das rodovias, à medida que tomava conhecimento das ocorrências. Desde o 1º registro do incidente, no final da tarde de 6ª-feira, os Painéis de Mensagens Variáveis noticiaram os problemas relacionados ao tráfego - com exceção dos equipamentos localizados na serra, que ficaram sem energia por conta da chuva e queda dos barrancos. Nas dezenas de entrevistas concedidas a partir da noite de 6ª-feira à imprensa, os porta-vozes da Ecovias pediam que os motoristas adiassem a viagem. A mesma solicitação foi feita nos demais canais de comunicação da empresa, como o site e 0800.

A leitora contesta: Os painéis da serra não estavam sem luz, pois havia a informação de trânsito lento. Ao invés disso, deveria estar o aviso da tragédia. Nós, usuários dessa concessionária, não somos obrigados a ver TV ou ouvir rádio antes de viajar! E o 0800 não funcionava! Não vi um único funcionário da Ecovias durante as horas em que fiquei na estrada. Jogar a responsabilidade para o cliente é errar mais ainda do que já erraram.

PRAGAS EM ÁRVORE

9 meses à espera do serviço

Em 4/6/2012 solicitei à Subprefeitura Lapa a retirada das pragas (erva-de-passarinho) que estão matando as árvores da rua. Dois engenheiros florestais e um agrônomo vieram ao local e consideraram legítima a minha solicitação, pois, além de estar sufocando as árvores, elas estão prejudicando a iluminação pública. Mas até agora nada foi feito e informam que não há quem possa realizar o serviço. ANTONIO CARLOS F. RAINHO

/ SÃO PAULO

A Subprefeitura Lapa informa que realizou vistoria das árvores na Rua Joazeiro, na altura do número 164, e que o serviço entrou na programação da Subprefeitura Lapa.

O leitor comenta: Da Subprefeitura Lapa somente recebi várias desculpas, mas a árvore continua lá, totalmente sufocada pelas pragas, que ainda prejudicam a iluminação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.