Descarga elétrica mata engenheiro na Linha Amarela do Metrô

Funcionário operava máquina quando encostou em barra de metal energizada com 20 mil volts

Bruno Lupion, Estadão.com.br

01 de fevereiro de 2011 | 07h50

SÃO PAULO - Um engenheiro a serviço do Consórcio Via Amarela morreu eletrocutado na futura estação Fradique Coutinho do Metrô, em Pinheiros, zona oeste da capital, por volta da uma hora da madrugada desta terça-feira, 1. Ricardo Gomes Martins, 48 anos, teria encostado sem querer em um equipamento energizado e levou uma descarga de 20 mil volts, que o matou na hora.

 

Martins operava um aparelho chamado "feeder", que controla a energização das linhas do metrô, quando escorregou e encostou numa barra de ferro energizada, segundo depoimento de testemunhas à Polícia Civil. Ele trabalhava para uma empresa terceirizada contratada pela Alston, umas das integrantes do Consórcio Via Amarela, segundo a assessoria da Via Quatro.

 

O Consórcio Via Amarela, que constrói a Linha 4-Amarela, divulgou nota lamentando a morte do engenheiro, um "profissional de larga experiência", e disse que tomará as providências cabíveis e dará o apoio necessário à família. O delegado do 14º Distrito Policial, em Pinheiros, Mauro José Artur, instaurou inquérito para apurar as causas do acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.