Desaparecido atende o celular 3h depois

O biólogo Flávio Porrozzi, de 30 anos, frequentava um curso de informática no Edifício Liberdade - a aula terminava às 21h. Ao saber do acidente, a noiva dele, Tatiana, com quem ele está há 9 anos, ligou para o biólogo, por volta de meia-noite. "Ele atendeu e disse: 'Oi, amor' e a ligação caiu. Ela ligou várias vezes depois, mas foi direto para a caixa postal", conta o chefe de cozinha Ricardo Porrozzi, tio de Flávio. Segundo familiares, Flávio fez cursos de salvamento. "Nossa expectativa é de que ele esteja vivo." / TIAGO ROGERO

O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2012 | 03h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.