Desafio é consolidar núcleos de moradias

A ONG Um Teto Para Meu País foi fundada em 1997 no Chile e funciona no Brasil desde 2006. O objetivo é construir moradias simples - cada uma custa cerca de R$ 3,5 mil -, com a ajuda de voluntários, em áreas de condições habitacionais precárias. No País, 485 casas emergenciais já foram construídas em cidades como Guarulhos, Suzano, Osasco, Itapeva e São Paulo e 3,5 mil voluntários participaram das ações da ONG no Estado - a maioria, estudantes de universidades paulistas.

Rodrigo Burgarelli e Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2011 | 00h00

Para especialistas em habitação social ouvidos pelo Estado, ações como a da ONG são importantes à medida que estimulam a participação dos moradores dessas casas a cobrar melhorias do poder público. "Eles percebem que têm direitos não atendidos e procuram se articular com outros movimentos. Assim, cobram do poder público melhorias em todo o planejamento urbano.", disse o urbanista Kazuo Nakano, do Instituto Pólis. Outra ação importante, segundo o urbanista, é criar mecanismos de articulação com outros movimentos sociais, além de promover capacitação das comunidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.