Deputado petista deixa a pobreza e junta R$ 5,1 milhões

Bens de deputado foram averiguados em 2010; em 2012, Luiz Moura declarou R$ 1,1 milhão

Fernando Gallo, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2014 | 02h03

Imerso no tema da reunião da qual participou com suspeitos de integrar o Primeiro Comando da Capital (PCC), o deputado estadual Luiz Moura (PT), em cinco anos, saiu de uma situação de pobreza para ser dono de um patrimônio de R$ 5,1 milhões.

Ontem à noite, questionado sobre renúncia, Moura descartou a possibilidade. "Nunca. Jamais. Quem não deve não teme." Em reunião da bancada do PT na Assembleia, Moura se defendeu diante dos colegas e prometeu fazer hoje um discurso na tribuna no qual se explicará sobre as denúncias.

Na conversa, o deputado deu o tom do que deve ser seu pronunciamento. Moura afirmou que, por ser ligado ao setor de transportes, costumeiramente participa de reuniões em garagens de vans e ônibus, mas negou qualquer envolvimento com o PCC e disse que não tem como pedir um relatório de antecedentes criminais das pessoas com quem se reúne. Ele declarou que não saberia identificar qualquer integrante da facção criminosa.

Sobre a reunião da qual participou com suspeitos de integrar o PCC, Moura afirmou que nem sequer foi averiguado e não foi conduzido à delegacia. O parlamentar disse que o próprio secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, já afirmou que não há qualquer investigação sobre ele.

Sobre as condenações judiciais que sofreu no Paraná e em Santa Catarina por roubo, ele sustentou que não pode ser punido por crimes pelos quais já foi reabilitado - embora tenha sido condenado a 12 anos de cadeia, e só tenha cumprido um ano e meio, e depois fugido, a Justiça lhe concedeu a reabilitação criminal.

Patrimônio. Em janeiro de 2005, para solicitar sua reabilitação criminal à Justiça catarinense - que o condenara por roubo -, além de afirmar que praticara os crimes porque usava entorpecentes, mas se regenerara, Moura assinou um atestado de pobreza no qual sustentava não ter "condições financeiras de ressarcir a vítima", no caso, um supermercado do qual subtraiu R$ 2,4 mil.

Além disso, apresentou uma declaração de Imposto de Renda de 2004 (referente ao ano de 2003) na qual afirmava que, em todo o ano anterior, tivera rendimentos que somaram R$ 15,8 mil. Cerca R$ 1,3 mil mensais.

Em 2010, contudo, quando se apresentou pela primeira vez como candidato, Luiz Moura, em sua declaração de bens, apresentou um patrimônio de R$ 5,1 milhões, dos quais R$ 4 milhões em cotas de uma empresa de ônibus - a Happy Play Tour -, cinco postos de gasolina, quatro casas e um ônibus.

Em 2012, quando chegou a se candidatar a prefeito de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, seu patrimônio havia diminuído em 80%, mas ele ainda era um milionário, com R$ 1,1 milhão.

Mais conteúdo sobre:
PT deputado Luiz Moura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.