Deportado na Espanha

ITAMARATY ANALISA OS CASOS MAIS RECENTES

O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2011 | 03h03

Iria encontrar a minha namorada inglesa em Porto, Portugal, e meu voo tinha escala em Madri, Espanha. Apesar de ter toda a documentação e requisitos necessários para ingressar na União Europeia, fui entrevistado duas vezes por policiais da imigração do governo espanhol. Tive de esperar numa sala com 18 pessoas e perdi meu voo. Alegaram que eu não tinha dinheiro suficiente para ingressar na Europa, nem uma carta-convite. Fui deportado sem poder avisar minha família e minha namorada - que me esperava aflita em Porto. Tenho dúvidas sobre os critérios aplicados, pois só vi nessa situação negros, como eu, morenos e mulatos, como também descendentes de indígenas e um muçulmano.

FÁBIO GOMES / RIO DE JANEIRO

O Itamaraty esclarece que a política de admissão em território de um país é uma decisão soberana dos Estados. Explica que as autoridades migratórias, caso julguem pertinente, podem impedir o ingresso de cidadãos estrangeiros em seu território mesmo que eles tenham passaporte com visto válido. Diz que o Ministério das Relações Exteriores mantém contato com as autoridades estrangeiras para sensibilizá-las sobre a necessidade de adotar critérios claros na política de controle migratório. Ressalta que tem contatado o governo espanhol para que seja revisto o tratamento conferido ao brasileiro que tem sua entrada denegada e que esse esforço diplomático resultou na redução de inadmissões: de 3.013 casos, em 2007, para 1.695, em 2010. Informa que o governo brasileiro avalia os casos recentes de inadmissão e as linhas de ação a serem adotadas em relação ao assunto. Informa que pelo www.portalconsular.mre.gov.br há uma cartilha com os critérios necessários para ingressar na Europa.

CONSULADO AMERICANO

Onde estão os passaportes?

No dia 20/9, meu marido e eu fizemos a entrevista para a obtenção do visto para os Estados Unidos no Consulado Americano. Depois da aprovação, pagamos a taxa de envio dos passaportes via Sedex. Já passou mais de 1 mês e ainda não recebemos os documentos. Para piorar, ninguém atende os telefones do consulado.

MARIA LUIZA L. AMATUZZI

/ SÃO PAULO

O Consulado dos Estados Unidos em São Paulo responde que não comenta casos individuais de vistos, mas informa que já contatou o casal Amatuzzi. Recomenda aos solicitantes de vistos que não receberam seus passaportes em até 10 dias úteis após a entrevista no consulado que enviem um e-mail para mesedex@ig.com.br ou visasaopaulo@state.gov.

A leitora rebate: Não entraram em contato e o e-mail visasaopaulo@state.gov retorna. A viagem está marcada e estamos sem os passaportes e vistos.

PRAÇA BUENOS AIRES

Sem limpeza e manutenção

A Prefeitura deixou vencer o contrato da empresa encarregada da manutenção e limpeza da Praça Buenos Aires sem providenciar antecipadamente a abertura de concorrência para contratação da sucessora. Restou só um funcionário que, voluntariamente, ajuda como pode.

LUIZ CARLOS H. MANZIONE

/ SÃO PAULO

A Secretaria do Verde e Meio Ambiente não respondeu.

O leitor informou que a situação continua a mesma.

TROCA DE PISO

Calçadas no centro

A Prefeitura anunciou que no próximo ano iniciará a troca dos pisos das calçadas do centro. Por que não troca os pisos das Ruas Barão de Itapetininga, Marconi, 7 de Abril, Dom José de Barros, Rua Conselheiro Crispiniano, 24 Maio e Avenidas São João e Ipiranga?

ROBERTO TADEU GORIOS

/ SÃO PAULO

PREJUÍZO

Carta roubada nos Correios

Sou destinatária de uma correspondência postada em 14/9. Pelo site, consta que ela foi entregue no Jaguaré em 15/9, mas não consta o nome da pessoa que a recebeu. Ninguém soube explica o que ocorreu. Um mês depois, em 17/10, soube que não houve nenhuma resposta sobre a correspondência, que estava endereçada para a Vila Suzana, próximo ao Morumbi, e não ao Jaguaré. O mais curioso foi que a receberam. Trata-se de um documento de valor legal imprescindível para dar continuidade a um processo.

GIZELLE PADUAN / SÃO PAULO

A Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana informa que a correspondência foi alvo de roubo, por isso o remetente tem direito à indenização.

A leitora diz: Como o documento se tratava de um contrato de valor legal, a parte mais interessada era o destinatário. Os Correios só indenizam clientes cadastrados. Como não sou, não receberei nem o documento perdido, nem a indenização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.