''Depois de tudo, o resultado desse júri é imprevisível''

''Depois de tudo, o resultado desse júri é imprevisível''

Temos duas negativas muito fortes e as provas técnicas desfavoráveis aos réus. O saldo dos quatro primeiros dias torna o veredicto imprevisível. O plenário foi dominado ontem pelas negativas dos réus sobre a autoria do crime. O interrogatório de Alexandre Nardoni teve duas partes importantes. A primeira se caracterizou pela forma contundente como ele refutou a acusação. A segunda foi o seu confronto com a acusação, quando Nardoni se mostrou agressivo e reticente em suas respostas. Nas minhas contas, ele falou de 10 a 12 vezes a frase "não me recordo". Se o começo lhe foi favorável, essa postura assumida diante do promotor não deve ajudá-lo a convencer o júri. Como os jurados formam a convicção passo a passo, a evolução do julgamento é muito importante. A defesa procurava desestabilizar a promotoria, interrompendo a linha de raciocínio, obrigando Francisco Cembranelli a informar o número das páginas do processo de onde retirava as informações usadas nas perguntas. Depois, foi a vez de Anna Jatobá, que se mostrou pouco empolgante. Assim, a oratória dos debates de hoje entre a defesa e a acusação será decisiva.

Análise: Luiz Flávio Gomes*, O Estadao de S.Paulo

26 Março 2010 | 00h00

*LUIZ FLÁVIO GOMES É JUIZ APOSENTADO E PROFESSOR DE DIREITO PENAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.