Depois de dia complicado, atrasos diminuem em Congonhas

Aeroporto de São Paulo registrou durante a tarde mais da metade dos vôos com atrasos e cancelamentos

Elvis Pereira,

22 de outubro de 2007 | 21h46

Depois de um dia complicado, com atrasos e cancelamentos chegando a 50% dos vôos em Congonhas, o índice de vôos com problemas na zona sul da capital paulista sofreu uma leve redução na noite desta segunda-feira, 22. Até as 21 horas, de 246 vôos, 78 partiram com atrasos superiores a uma hora, 31,7% do total. Outros 31 foram cancelados (12,6%). Saiba quais são seus direitos em caso de atrasoComo entrar em contato com as empresasSituação dos aeroportos Antes, às 17 horas, o volume de atrasos era de 34,8%. O terminal funciona com o auxílio de instrumentos desde às 16h50 em razão do mau tempo, aponta a Infraero. Em todo o País, incluindo os dados de Congonhas, 449 dos 1.720 vôos programados atrasaram, o que representa 26,1% das operações, além de 118 cancelamentos (6,9%), entre zero e 21 horas. No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, houve 36 atrasos (15,7%) e 13 suspensões (5,7%) em 229 vôos. O Aeroporto Presidente Juscelino Kubitschek, em Brasília, acumulou 33 atrasos (25,6%) e dois cancelamentos (1,6%) em 129 vôos. O cenário de atrasos se repetia nos aeroportos do Rio. O Galeão registrou 36 atrasos (22,6%) e 13 suspensões (8,2%) em 159 vôos. No Santos Dumont, de 81 vôos, 18 atrasaram (22,2%) e 14 foram cancelados (17,3%). O Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, no Paraná, teve 27 dos 89 vôos programados com atrasos (30,3%) e oito vôos cancelados (9%). No Rio Grande do Sul, o Aeroporto Salgado Filho reuniu 24 atrasos (32,9%) e 2 cancelamentos (2,7%) em 73 vôos. Motivo dos atrasos O Centro de Comunicação da Aeronáutica (Ceconsaer) divulgou uma nota em resposta a situação de atrasos nas operações de Congonhas. De acordo com a nota, "não há restrições significativas com relação ao controle de tráfego aéreo. A maior parte dos atrasos no momento está diretamente relacionada com as condições meteorológicas desde a noite de domingo, 21".   A declaração contrariou a informação de que os atrasos nos vôos em Congonhas estariam sendo causados por problemas no controle de comunicação "devido ao tráfego intenso".    Segundo o Ceconsaer, o mau tempo na região de Foz do Iguaçu, no Paraná, onde as rajadas de vento atingiram 110 quilômetros por hora na manhã de domingo, avançou para o Sudeste do País e provocou ventos de 75 quilômetros na capital paulista.   Com isso, só no domingo, 15 vôos foram desviados para o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, e outros para São José dos Campos e Guarulhos, ambos em São Paulo. Já o Aeroporto de Viracopos, em Campinas, não pôde receber nenhum vôo porque também tinha chuva e vento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.