Depois das cuecas, relógios de Abadia serão leiloados

O mais caro, com caixa revestida de ouro, está avaliado em R$ 446 mil

TIAGO DANTAS, O Estado de S.Paulo

06 Setembro 2012 | 03h01

Em cima do balcão, há 20 relógios suíços. O mais barato tem o fundo perolado e custa R$ 9,4 mil. Todos os demais valem mais de R$ 30 mil. O mais caro do acervo, com a caixa revestida de ouro, está avaliado em R$ 446 mil. A descrição poderia servir para uma joalheria de luxo da capital, se os acessórios não tivessem sido apreendidos na casa do maior traficante de drogas preso no Brasil.

A Justiça pretende fazer, nos dias 24 deste mês e 8 de outubro, o leilão de 20 relógios que pertenciam a Juan Carlos Ramirez Abadía. O megatraficante colombiano foi preso pela Polícia Federal em agosto de 2007 e extraditado para os Estados Unidos no ano seguinte. Parte dos seus bens foi leiloada em abril de 2008, rendendo R$ 1,1 milhão.

Juntos, os 20 relógios estão avaliados em R$ 2,1 milhões. Todos são de marcas de luxo, como Cartier, Rolex, Bvlgari e Audemars Piguet. Os bens vão para leilão porque a Justiça os considerou como "produtos de delito de tráfico internacional de drogas e objeto de crime de lavagem de dinheiro". O dinheiro arrecadado ficará em uma conta judicial, caso o acusado algum dia seja inocentado.

Quem estiver interessado nas peças deve tomar cuidado com o estado de conservação. Os acessórios "necessitam de atos contínuos de manutenção, tais como limpeza, lubrificação, polimento, regulagem, controle de impermeabilidade", segundo o juiz federal Marcelo Costenaro Cavali, substituto da 6.ª Vara Criminal Federal em São Paulo.

O magistrado marcou o leilão para o Fórum Criminal da Justiça Federal, localizado na Alameda Ministro Rocha Azevedo, 25, Cerqueira César, região central. O evento poderá ser acompanhado pela internet no site www.superbidjudicial.com.br.

Em abril de 2008, cerca de 3 mil objetos que pertenciam ao megatraficante foram a leilão em um evento no Jockey Club, na zona sul. Entre os itens, havia cuecas de marcas famosas, um pé de cabra e vários utensílios com a marca "Hello Kitty", que pertenciam à mulher de Abadía. Tudo foi vendido.

Valores. Entre os objetos mais caros arrematados no leilão estavam um relógio de R$ 97 mil e uma bicicleta, comprada por R$ 10 mil. Três aparelhos de TV receberam lances de R$ 8 mil, R$ 3,5 mil e R$ 2,7 mil, segundo informou a Justiça na época.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.