Depois da cheia, a volta à rotina

Prefeito, vice-prefeito e secretários de Franco da Rocha retornam ao trabalho em prédio danificado

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2011 | 00h00

Os funcionários ainda varriam a lama, móveis de plástico eram improvisados nos gabinetes e processos eram colocados ao sol para secar. Mesmo assim, o prefeito, o vice-prefeito e os secretários de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, retornaram ontem para o prédio da prefeitura - que ficou alagado com as chuvas e a abertura de comportas da Represa Paiva Castro, na semana passada.

"A água subiu bastante e, como a prefeitura fica em um declive, ficou bem alagada e perdemos armários e documentos", diz o vice-prefeito José Antônio Pariz Júnior, o Pinduca. "Não perdemos mais porque o pessoal foi esperto e veio aqui tirar outras coisas antes de alagar." O prefeito Márcio Cecchettini esteve no local logo cedo, mas passou o resto do dia em São Paulo negociando iniciativas para impedir mais alagamentos.

Muitos móveis das salas e gabinetes estragaram e foram retirados, o que deixou muitas salas totalmente vazias. "O cheiro ainda está forte, porque está cheio de água nas divisórias", explicou o secretário de Administração e Assuntos Jurídicos, Sandro Fleury Bernardo Savazoni.

Quando o prédio estava alagado, uma sede provisória havia sido montada em uma escola da cidade, mas mesmo naqueles dias era preciso voltar à prefeitura. "Nós tínhamos de entrar aqui para pesquisar leis e depois publicar os decretos de emergência", diz o secretário. A prefeitura ainda não sabe quando teve de prejuízo.

Câmara. A poucos metros dali, os vereadores encontraram a Câmara Municipal em estado ainda pior. Algumas salas estão cheias de restos de documentos que serão jogados fora. Um grande salão onde ficavam os gabinetes dos parlamentares - separados por divisórias - está agora com restos de madeiras dos móveis, paredes de gesso caídas e com marcas de água nas paredes. "Colocamos uma grande mesa no plenário e todos os técnicos dos gabinetes estão trabalhando juntos", diz o vereador e segundo-secretário da Casa, Tenório Garcia Tosta (PV).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.