Denúncias continuam a mover a fiscalização

Especialista destaca que anunciar falsa titulação pode ser considerado até propaganda enganosa, além de falha ética

O Estado de S.Paulo

14 Julho 2013 | 02h07

A médica veterinária Carolina Scarpa Carneiro, de 33 anos, desde 2001 realiza pesquisas na área, já tem mestrado e doutorado e, mesmo assim, ainda tem alguns pontos a conquistar para a especialização. No entanto, aprova a titulação. "É um reconhecimento profissional."

A fiscalização continua a depender dos donos. "Se seguirmos o Código de Defesa do Consumidor, aquele que se diz especialista, mas não tem o título, pode estar fazendo propaganda enganosa", ressalta o presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Benedito Fortes de Arruda. O cliente poderá denunciar casos ao conselho - que abrirá processo ético.

Além da associação de oncologia, só existem mais cinco entidades autorizadas pelo CFMV a expedir diplomas de especialização veterinária: a Academia de Medicina Veterinária Intensiva; a Associação Médico Veterinária Homeopática; o Colégio de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária; o Colégio de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária; e a Associação Brasileira de Patologia Veterinária. /F.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.