Denúncia de abuso no Pinheirinho será apurada com rigor, diz Alckmin

Governador pediu 48 horas para divulgar resultado de investigação sobre ação da PM em São José

Gustavo Uribe, Agência Estado

06 de fevereiro de 2012 | 15h30

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, informou na manhã desta segunda-feira, 6, que a administração estadual abriu investigação para apurar a denúncia de violência sexual que teria sido cometida contra uma moradora durante a reintegração de posse na comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP).

 

Alckmin ressaltou que as denúncias serão investigadas com rigor. "Já foi aberta a investigação e será apurada de maneira rigorosa e rápida", afirmou. "Vamos aguardar 48 horas", pediu. O governador participou do "Primeiro Seminário de Preparação de Candidatos", evento promovido pelo DEM, na capital paulista.

Na última semana, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) leu, no plenário do Senado, um documento do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humana (Condeph) com depoimentos que relatam violência sexual por policiais da Rota. O senador pediu providências aos governos estadual e federal para que seja garantida a proteção às supostas vítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.