Dentro da Reitoria, sujeira, lixo e slogans pichados

Em uma das salas, uma pintura de pessoa mascarada atirando um coquetel molotov em um carro da PM. Em outro ponto do prédio, escrito como em história em quadrinhos: "E a oficina de coquetel molotov?" e "Bang, bang".

O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2011 | 03h07

No prédio todo, muito lixo no chão e slogans pintados na parede foram o rescaldo da desocupação. A reportagem não encontrou bens ou equipamentos destruídos, com exceção de portas de madeiras arrombadas - não se sabe se por alunos ou pela PM. Estudantes deixaram para trás colchões, colchonetes, roupas, mochilas e até documentos. Além de muito papel e jornal espalhados, havia cadeiras e sofás amontoados, uma impressora no chão e garrafas de bebida alcoólica. Em uma das salas, alunos improvisaram um espaço de pintura - provavelmente para fazer cartazes. Também improvisaram uma "farmácia" em um balcão, com gaze e mercúrio.

Apesar da sujeira, os vidros ficaram intactos. Foram poupados de pichações os quadros de antigos reitores da USP. / C.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.