Márcio Fernandes de Oliveira/Estadão
Márcio Fernandes de Oliveira/Estadão

Demolição de imóveis na Cracolândia deixa três feridos

Moradores foram surpreendidos pela ação da Prefeitura; gestão João Doria diz que objetivo é desarticular crime

Felipe Resk, Fabio Leite e Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

23 Maio 2017 | 14h49
Atualizado 23 Maio 2017 | 18h47

SÃO PAULO - A gestão João Doria (PSDB) iniciou a demolição de dois imóveis na Cracolândia, na região central da capital paulista, ainda com pessoas dentro nesta terça-feira, 23. Segundo a Secretaria Municipal de Obras, três pessoas ficaram feridas, sendo duas com escoriações leves e uma encaminhada ao Pronto-Socorro da Barra Funda, na zona oeste. A suspeita de fratura nessa última vítima foi descartada após exames e ela foi liberada da unidade de saúde. 

Inicialmente, a Prefeitura havia informado que quatro pessoas tinham ficado feridas, mas corrigiu a informação no início da noite. Os imóveis são localizados na Alameda Dino Bueno, onde ficava concentrado o "fluxo" antes da operação policial no domingo passado, 21. O motivo da demolição, segundo a Prefeitura, é para desarticular o domínio do Primeiro Comando da Capital (PCC), que controla o tráfico na região.

Nos imóveis havia moradores, que foram surpreendidos por retroescavadeiras por volta das 14 horas. No horário, o prefeito concedia entrevista no Largo Coração de Jesus, a poucos metros da Dino Bueno. Doria foi informado sobre um tumulto, mas disse não ter informações sobre o que havia acontecido. Ao fim da entrevista, informou que já tinha dado uma volta pela região e foi embora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.