Delegados são suspeitos de espionar secretário da Segurança

A Polícia Civil abriu ontem inquérito para apurar a espionagem contra o secretário da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto. A ordem foi dada pelo próprio secretário ao delegado-geral, Marcos Carneiro Lima. Suspeita-se que dois delegados investigados por fraudes em licitações e lavagem de dinheiro estejam por trás da obtenção fraudulenta das imagens de um encontro do secretário com um jornalista no Shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo.

Marcelo Godoy e Rejane Lima, O Estado de S.Paulo

12 Março 2011 | 00h00

O inquérito vai apurar como o shopping entregou as imagens do circuito de TV e para quem o material foi dado. O estabelecimento diz que entregou as imagens a policiais de São Paulo que as requisitaram sob a alegação de que investigavam um crime. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) condenou ontem a espionagem. "O que aconteceu são duas coisas. O shopping não deveria ter dado a fita e, quem pediu, em nome da polícia, também não poderia fazê-lo."

A Corregedoria também vai apurar a ação de três policiais civis que sumiram com gravações feitas por um produtor da Rede Globo que apurava corrupção policial na zona leste de São Paulo. Os policiais apanharam a câmera do produtor e devolveram-na horas depois, sem a fita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.