Delegado vai pedir exames de dosagem alcoólica de Casagrande

Ex-jogador e a namorada continuam internados, sem previsão de alta, após sofrerem acidente de carro

25 de setembro de 2007 | 11h01

O delegado Renato Ferreira, titular do 7º Distrito Policial (Lapa), que investiga o acidente de carro do ex-jogador e comentarista esportivo Walter Casagrande Júnior, afirmou que vai pedir os exames de dosagem alcoólica feitos no Hospital das Clínicas, onde houve o primeiro atendimento ao jogador. Além disso, ele também deve pedir exames ao Hospital Albert Einstein, onde Casagrande continua internado, sem previsão de alta. Casagrande, de 44 anos, e sua namorada, Karine Vasconcelos, de 33 anos, têm estado de saúde estável, segundo informações do hospital, mas ainda não há previsão de alta. Na noite do último sábado, Casagrande capotou seu jipe Cherokee Sport na Lapa, zona oeste, quando dirigia ao lado da namorada. Não houve outros feridos, apenas danos a outros quatro carros que estavam estacionados. Dirigir sob a ação de entorpecentes ou com mais de seis decigramas de álcool por litro de sangue ode levar à suspensão do direito de dirigir. Até o fim da manhã desta terça, os dois devem receber a visita de seus médicos para uma avaliação. Casagrande teve politraumatismo e Karine sofreu lesão na coluna em razão do acidente. Na manhã de segunda, o ex-jogador deixou a UTI do hospital e, de acordo com o médico Artur Timerman, ele continuava no hospital para receber analgésicos. "Ele só sente dores por causa das pancadas, não houve fraturas. Ele está lúcido, se alimentando e conseguiu tomar banho." Karine, que teve uma fratura na quinta vértebra da coluna, permanecia utilizando colete cervical e passaria por uma avaliação neurológica na segunda, disse Timerman. Ela não tinha qualquer problema nos movimentos, explicou ainda o médico, que não acompanha diretamente o caso da namorada do ex-jogador. O estado de Karina é bom, semelhante ao de Casagrande. Segundo o boletim de ocorrência do caso o policial militar que foi ao local do acidente declarou que Casagrande havia batido a cabeça e apresentava comportamento "que lembrava embriaguez". O policial também informou que Casagrande teria lhe dito que estava sob efeito de tranqüilizante e que teria ingerido um copo de vinho. Especialistas afirmam que a combinação dos dois pode causar alterações de comportamento e forte sonolência. A TV Globo informou que o comentarista estava afastado por problemas pessoais. Segundo a reportagem do Estado apurou, nos últimos tempos o ex-jogador passou por dificuldades, como a separação da mulher, e fazia terapia para combater problemas psicológicos.  (Colaborou Paulo R. Zulino, do estadao.com.br)

Tudo o que sabemos sobre:
Casagrande

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.