Delegado reage a roubo e mata dois

Policial foi abordado enquanto sacava dinheiro em supermercado na V. Madalena

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2012 | 03h02

Um delegado reagiu a uma tentativa de assalto e matou dois suspeitos, por volta do meio-dia de ontem, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. Os bandidos abordaram o policial dentro do estacionamento de um supermercado.

O delegado Fábio Pinheiro, que trabalha em Carapicuíba, na Grande São Paulo, teria sido abordado pelos bandidos quando sacava dinheiro em um caixa 24 horas, de acordo com a Polícia Civil. Ele chegou a entregar uma corrente de outro e um relógio aos assaltantes. Segundo a polícia, com a desculpa de que pegaria pertences, atraiu os bandidos até o seu carro, um Camaro branco, onde estava a arma.

"No carro, ele deixou o celular cair de propósito. Quando o ladrão foi pegar, ele atirou", afirma o manobrista José Ribamar Nogueira da Silva, de 52 anos, que trabalha em um bar na frente do Supermercado Mambo, no número 553 da Rua Deputado Lacerda Franco. Embora a própria polícia recomende que não se reaja, o delegado foi até o assaltante caído e o desarmou.

O outro assaltante, segundo a testemunha, começou a correr. "O delegado deu voz de prisão, mas ele não parou. Parou na bala", diz. Um dos ladrões morreu na hora, enquanto o outro chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Duas pistolas, uma 9 milímetros e uma .40, de uso restrito da polícia, foram apreendidas. De acordo com Silva, no momento do assalto, o policial estava acompanhado da mulher.

O local do crime foi isolado e passou por perícia. O caso está sendo investigado pelo Grupo Especializado em Assessoramento a Local de Crime (Geacrim), do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A Secretaria de Estado da Segurança Pública foi procurada e não deu detalhes da ocorrência.

Até as 20 horas, a reportagem não havia localizado o delegado Fábio Pinheiro. Ele chegou a ser investigado, com outros policiais, sob suspeita de comprar cargos na chefia da Polícia Civil de São Paulo. Ele, no entanto, não foi condenado.

Via assessoria de imprensa, o Supermercado Mambo afirma que "lamenta o ocorrido e informa que sempre adotou os mais rigorosos procedimentos de segurança em suas instalações" Estatísticas. No primeiro semestre deste ano, de acordo com a Secretaria de Segurança, 12 pessoas foram mortas por policiais civis de folga e outras dez foram mortas durante ações da Polícia Civil.

No último dia 11, outro policial civil reagiu a um assalto e matou um criminoso em São Vicente, na Baixada Santista. Outro assaltante envolvido no episódio foi preso pela Polícia Militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.