Sergio Castro / AE
Sergio Castro / AE

Delegado reage a assalto em supermercado em SP e mata dois

Bandidos abordaram o policial em um Camaro branco, dentro do estacionamento do supermercado Mambo

Artur Rodrigues / O Estado de S. Paulo,

19 Agosto 2012 | 18h40

atualizado às 10h30 para acréscimo de informações

Um delegado reagiu a uma tentativa de assalto e matou dois suspeitos, por volta do meio-dia desse domingo, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. Os bandidos abordaram o policial dentro do estacionamento de um supermercado.

O delegado Fábio Pinheiro, que trabalha em Carapicuíba, na Grande São Paulo, teria sido abordado pelos bandidos quando sacava dinheiro em um caixa 24 horas, de acordo com a Polícia Civil. Ele chegou a entregar uma corrente de outro e um relógio aos assaltantes. Segundo a polícia, com a desculpa de que pegaria pertences, atraiu os bandidos até o seu carro, um Camaro branco, onde estava a arma.

"No carro, ele deixou o celular cair de propósito. Quando o ladrão foi pegar, ele atirou", afirma o manobrista José Ribamar Nogueira da Silva, de 52 anos, que trabalha em um bar na frente do Supermercado Mambo, no número 553 da Rua Deputado Lacerda Franco. Depois, o policial foi até o assaltante caído e o desarmou.

O outro assaltante, segundo a testemunha, começou a correr. "O delegado deu voz de prisão, mas ele não parou. Parou na bala", diz. Um dos ladrões morreu na hora, enquanto o outro chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Duas pistolas, uma 9 milímetros e uma .40, de uso restrito da polícia, foram apreendidas com os criminosos. De acordo com Silva, no momento do assalto, o policial estava acompanhado da mulher.

O local do crime foi isolado e passou por perícia. O caso está sendo investigado pelo Grupo Especializado em Assessoramento a Local de Crime (Geacrim), do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A Secretaria de Estado da Segurança Pública foi procurada e não deu detalhes da ocorrência.

Até as 20 horas, a reportagem não havia localizado o delegado Fábio Pinheiro. Ele chegou a ser investigado, junto com outros policiais, sob suspeita de comprar cargos na chefia da Polícia Civil de São Paulo. Ele, no entanto, não foi condenado.

Via assessoria de imprensa, o Supermercado Mambo "lamenta o ocorrido e informa que sempre adotou os mais rigorosos procedimentos de segurança em suas instalações".

Estatísticas. No primeiro semestre deste ano, de acordo com a Secretaria de Segurança, 12 pessoas foram mortas por policiais civis de folga e outras dez foram mortas durante ações da Polícia Civil.

No último dia 11, outro policial civil reagiu a um assalto e matou um criminoso em São Vicente, na Baixada Santista. Outro assaltante envolvido no episódio foi preso pela Polícia Militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.