Delegado que agrediu cadeirante é condenado a três meses de prisão

Damásio Marino, que era titular do 6° DP de São José dos Campos, poderá recorrer em liberdade

Solange Spigliatti, estadão.com.br

17 de agosto de 2011 | 09h45

SÃO PAULO - O delegado Damásio Marino, acusado de agredir o advogado e cadeirante Anatole Magalhães Macedo Morandini, no dia 17 janeiro deste ano em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, foi condenado a três meses de prisão, com o direito de apelar em liberdade.

 

Segundo a sentença, apurou-se que o delegado teria sido repreendido pela vítima por ter estacionado seu veículo em vaga destinada a deficientes. Neste momento, o delegado xingou a vítima chamando-o de "aleijado filho da p..." Em seguida, o advogado teria cuspido contra o veículo do acusado, que deixou o automóvel, sacou a arma e desferiu dois golpes contra a cabeça e ameaçou Morandini.

 

O delegado era titular do 6.º Distrito Policial, mas foi afastado por 30 dias na época para que a agressão fosse investigada. O prazo de 30 dias terminou e ele voltou a assumir funções administrativas na delegacia seccional da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.