Delegado leva 3 tiros ao sair de banco em Moema

Bandidos levaram R$ 7 mil que policial havia sacado e uma pistola .40; câmeras podem ajudar na investigação

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2012 | 03h03

O delegado Marlon Meira dos Santos, de 42 anos, que trabalha no 3.º Distrito Policial de Diadema, na Grande São Paulo, foi atingido por três tiros ontem, após ser vítima do crime conhecido como "saidinha de banco" em Moema, na zona sul da capital. Ele passa bem.

Foi o segundo delegado baleado em menos de uma semana em São Paulo. Na ação de ontem, o policial ferido tinha acabado de deixar uma agência do banco Itaú, na Rua Araguari, quase esquina com a Avenida Santo Amaro, quando foi cercado por dois motoqueiros em uma Honda vermelha modelo Twister.

Segundo a Polícia Civil, o delegado havia sacado R$ 7 mil, ao meio-dia, e estava sozinho quando foi abordado ainda na rua. Testemunhas contaram que a vítima, que estava armada, teria reagido ao cerco.

Além do dinheiro, os bandidos também levaram a pistola .40 do policial, que ficou caído no asfalto e foi socorrido por uma viatura do Grupo de Operações Especiais (GOE). Ele foi levado para o Hospital São Luiz, no Itaim-Bibi, também na zona sul da capital. No boletim de ocorrência registrado no 96.º Distrito Policial (Monções) consta que Santos levou um tiro nas nádegas e outro na coxa. Um terceiro disparo não foi detalhado.

Imagens. Após o assalto, uma outra equipe de policiais esteve no local e apurou que há câmeras de monitoramento em um prédio localizado na Rua Pavão, que provavelmente teriam registrado o momento da ação. As imagens devem ser solicitadas por investigadores nos próximos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.