Delegado e vereador são presos por corrupção no interior de São Paulo

Suspeitos montaram esquema de extorsão contra empresas interessadas em realizar inspeção veicular nos municípios de Piedade e Tapiraí

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

20 Fevereiro 2014 | 22h26

SOROCABA - O delegado da Polícia Civil Douglas Chaves de Mello, diretor da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Piedade, região de Sorocaba, foi preso temporariamente nesta quinta-feira, 20, acusado de cobrar propina de empresas de inspeção de veículos.

Também foram presos um filho do delegado e o vereador Marcos Pinto de Camargo (PSDB), o Marquinho da Ciretran, da Câmara de Vereadores local. De acordo com investigação do Grupo de Atuação Especial do Ministério Público (Gaeco), os três suspeitos montaram um esquema de extorsão contra empresas interessadas em realizar inspeção veicular em Piedade e Tapiraí.

As empresas pagavam uma quantia por veículo inspecionado. O dinheiro era recolhido semanalmente pelo vereador, que é funcionário público lotado na Ciretran, e repassado ao delegado. O vereador controlava a quantidade de veículos repassada a cada empresa. Três proprietários de empresas teriam confirmado os achaques. O filho do delegado ajudava no direcionamento das inspeções.

De acordo com as investigações, o esquema funcionava desde 2010. A Justiça de Piedade decretou a prisão temporária dos suspeitos por cinco dias. Policiais da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo acompanharam as prisões. Os acusados foram levados na noite desta quinta-feira para a sede do Gaeco de Sorocaba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.