Delegado é preso por crimes de peculato e corrupção em Penápolis

Nivaldo Martins Coelho é suspeito de participar de um esquema de fraudes para recuperar e colocar no mercado carros roubados

CHICO SIQUEIRA, Especial para O Estado

21 Novembro 2014 | 18h52

PENÁPOLIS - Uma operação da Corregedoria da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, prendeu nesta sexta-feira, 21, o delegado de polícia Nivaldo Martins Coelho, titular da Delegacia de Birigui e diretor da Cadeia Pública de Penápolis. 

O delegado, que era investigado por promotores e corregedores havia quatro meses, é suspeito de cometer crimes de peculato e corrupção ativa ao participar de um esquema de fraudes para recuperar e colocar no mercado carros roubados, apreendidos e descartados em sinistros de seguradoras.

O delegado foi preso na chácara onde mora, em Penápolis, mas as três equipes de corregedores, de São Paulo, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto, que participaram das buscas junto com promotores de Justiça de Araçatuba, também revistaram as salas do delegado em Birigui e Penápolis, além de casas de despachantes das duas cidades.

No total foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão e, além do delegado, um homem, responsável pelo serviço de guincho da cidade de Birigui, também foi preso, acusado de desbloquear e liberar os veículos apreendidos. O delegado seria transferido ainda nesta sexta-feira para um presídio da capital paulista.

Mais conteúdo sobre:
Penápolis

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.