Reprodução
Reprodução

Delegado é afastado após 'descaso' em sequestro divulgado no Facebook

Jovem morreu baleado após ser levado por criminosos na porta de casa, na zona sul de São Paulo

Solange Spigliatti, estadao.com.br

21 Outubro 2011 | 12h43

SÃO PAULO - O delegado Iraí Santos de Paula, do 98º Distrito Policial (Jardim Miriam), na zona sul de São Paulo, foi afastado do cargo na quinta-feira, após a repercussão da denúncia de Karina Fogaça, de 30 anos, sobre o "descaso" de policiais da delegacia em registrar o sequestro de seu irmão, Renan Fogaça Alípio, de 22 anos, ocorrido em frente de sua casa, no último sábado, 16.

Renan foi encontrado baleado no mesmo dia e morreu em um hospital de Diadema, no Grande ABC. O enterro aconteceu no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, na região metropolitana de São Paulo.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a confirmação do afastamento foi dada por Walter Bassoli Carvalho, que responde pela diretoria da 6º Seccional de polícia, em Santo Amaro. O delegado Roberto Tadeu Sampaio Lopes vai assumir a titularidade do 98º DP.

A irmã de Renan, a técnica em Radiologia Karina Fogaça, chegou a divulgar o sequestro de Alípio em sua página no Facebook, com o objetivo de conseguir informações sobre o paradeiro do rapaz. Alípio foi sequestrado na frente de casa, em Pedreira, zona sul da capital paulista, às 21h15.

Vizinhos viram quatro homens em um Celta preto abordando o metalúrgico. A família chegou ao 98º DP 45 minutos após o crime. "Os policiais falaram que era preciso esperar 24 horas para registrar a ocorrência", disse a corretora de imóveis Márcia Fogaça, de 35 anos, prima de Alípio. Segundo ela, só foi feito BO de desaparecimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.