Delegado diz que morte de estudante da FGV foi 'encomendada'

Polícia afirmou que ainda não sabe motivo; outro jovem também foi atingido por disparos e está internado em estado grave

Solange Spigliatti, Central de Notícias

24 Fevereiro 2011 | 16h21

SÃO PAULO - O delegado Paulo Afonso Tucci, que investiga o caso de dois estudantes da Fundação Getúlio Vargas, baleados na noite desta quarta-feira, 23, na Bela Vista, acredita que o crime foi "encomendado."

 

Veja também:

 linkDois estudantes são baleados em bar próximo a FGV; um morre

 

Através da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o delegado confirmou na tarde de hoje que "tudo leva a crer que o crime foi encomendado, mas ainda não se sabe o motivo".

 

O estudante Júlio César Grimm Bakri, de 22 anos, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), foi executado com cinco tiros em um bar ao lado da faculdade enquanto tomava cerveja com amigos na noite de ontem.

 

Outro aluno, de 23 anos, também foi atingido e permanece internado em estado grave no Hospital das Clínicas. Eles estavam em uma mesa na calçada quando dois homens chegaram em uma moto, atiraram pelo menos quinze vezes na direção dos jovens e fugiram sem levar nada. Segundo a Secretaria, já foi instaurado um inquérito para apurar o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.